Negócios

Pagar contas com cartão de crédito: cinco dicas para usar com cuidado essa opção

A funcionalidade oferece benefícios, mas requer organização e estratégia para não tumultuar as suas finanças

Nem todo cartão tem a função: é preciso verificar diretamente com as operadoras se o serviço de pagamento de boletos está habilitado e quais tarifas estão envolvidas. (kate_sept2004/Getty Images)

Nem todo cartão tem a função: é preciso verificar diretamente com as operadoras se o serviço de pagamento de boletos está habilitado e quais tarifas estão envolvidas. (kate_sept2004/Getty Images)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 13 de maio de 2024 às 12h09.

Além de ser usado na compra de produtos e serviços, o cartão de crédito, um dos meios de pagamento mais usados no país, também oferece a opção de pagamento de boletos. Dependendo do cartão, uma série de contas podem ser quitadas – inclusive, parceladas – por meio dessa funcionalidade, como água, luz, gás, telefone e outros documentos com código de barras.

Uma das vantagens de pagar boletos com cartão é você conseguir concentrar todas as suas contas na data de vencimento da fatura, em vez de ir pagando separado ao longo do mês. Enquanto isso, o dinheiro pode ficar aplicado, rendendo. O procedimento é simples, bastando selecionar “cartão de crédito” como forma de pagamento no app ou site do seu banco.

A facilidade de acesso ao serviço, porém, pode ser perigosa se você não souber usá-lo com sabedoria. Colocar as contas no crédito deve ser algo bem avaliado e feito com cautela para você não acabar comprometendo as suas finanças. Veja a seguir cinco dicas de como usar com cuidado essa alternativa.

1. É uma boa, mas para quem é organizado

Pagar todos os boletos com cartão funciona apenas para quem consegue planejar bem os gastos de forma a não extrapolar o que ganha. Porque, sem controle constante do que está entrando no crédito, a pessoa pode se perder com tantos pagamentos acumulados e a fatura chegar mais alta do que ela pode pagar.

2. Não é disciplinado? Use só em situações pontuais

Se você não é dos mais organizados, vá com calma. Usar o cartão para adiar o pagamento de uma conta específica, quando houver algum imprevisto financeiro, pode ser bastante útil. O carro quebrou, por exemplo, e o gasto com o conserto extrapolou o orçamento mensal. Nesse caso, vale deixar a conta de luz no crédito somente dessa vez, para pagar na fatura do mês seguinte, quando as finanças já estarão em ordem.

3. Atente-se a taxas e juros

O serviço de pagamento de contas com a função crédito é acrescido de encargos – IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e juros – e está sujeito à cobrança de tarifas, determinadas livremente pelos bancos, o que aumenta o valor do boleto. Por isso, antes de selecionar essa alternativa, especialmente se pretende parcelar, consulte o CET (Custo Efetivo Total) e veja se vale a pena arcar com o custo extra.

4. Pague à vista se puder

Agora, se você tiver dinheiro em conta para quitar os boletos na data do vencimento e à vista, seja Pix, transferência ou em espécie, essa é a melhor opção. O cartão de crédito deve ser usado apenas se nenhuma dessas alternativas for possível ou houver uma estratégia por trás, como deixar o salário rendendo entre uma fatura e outra.

5. Programe-se para o total da fatura depois

Não adianta adiar os boletos por meio do crédito se não puder pagá-los depois. Então, lembre-se de que a fatura vai chegar em breve e é preciso ter a quantia total já reservada para quitá-la, e no dia certo. Afinal, os juros do cartão são muito altos e atrasar o pagamento da fatura ou parcelar o valor não será um bom negócio: você vai trocar uma dívida por outra muito maior. 

Nesse caso, antes de jogar tudo no cartão sem saber se terá todo o dinheiro depois, vale estudar uma opção menos arriscada, como arcar com os juros do boleto em atraso até que você tenha a quantia (se forem poucos dias), entrar em contato com a empresa para renegociar a forma de pagamento dessa conta ou até fazer um empréstimo consignado, que tem taxas bem mais baixas que as do cartão.

Acompanhe tudo sobre:branded-contentconteúdo banco pan

Mais de Negócios

Instituto Bazzar quer lançar luz sobre restaurantes sustentáveis que priorizam a gastronomia local

Lifetime é eleita, pelo terceiro ano seguido, a melhor assessoria de investimentos do Brasil

Aos 81, ele lidera cruzeiros de luxo de US$ 10,4 bilhões para baby boomers

67% das empreendedoras no Brasil são mães, aponta pesquisa do Sebrae

Mais na Exame