Mundo

Vincent e Bruno protagonizam primeiro casamento gay francês

Vincent Aubin e Bruno Boileau trocaram votos na prefeitura diante do prefeito, parentes e amigos, e o máximo de pessoas bem intencionadas que cabiam no local

Vincent Aubin e Bruno Boileau no primeiro casamento homossexual da França: recusando-se a transformar a praça em frente à prefeitura em uma zona cercada de alta segurança, o evento, em vez disso, foi transmitido ao vivo pelo site da prefeitura da cidade. (REUTERS/Jean-Paul Pelissier)

Vincent Aubin e Bruno Boileau no primeiro casamento homossexual da França: recusando-se a transformar a praça em frente à prefeitura em uma zona cercada de alta segurança, o evento, em vez disso, foi transmitido ao vivo pelo site da prefeitura da cidade. (REUTERS/Jean-Paul Pelissier)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de maio de 2013 às 15h12.

Montpellier - Dois homens casaram-se na cidade francesa de Montpellier nesta quarta-feira, o primeiro casal do mesmo sexo a se casar na França sob uma reforma que tem alimentado alguns dos mais ferozes protestos de rua no país em décadas.

Vincent Aubin e Bruno Boileau --juntos desde que se conheceram há seis anos ao discutir música em um fórum online-- trocaram votos na prefeitura diante do prefeito, parentes e amigos, e o máximo de pessoas bem intencionadas que cabiam no local.

"Esperamos que seja para sempre, mas se algum dia terminar, vamos ser iguais a qualquer outro casal nessa situação", brincou Aubin em uma bateria de entrevistas com a mídia local antes do grande dia.

Apesar do forte apoio à reforma em Montpellier, que se orgulha de ser a cidade da França mais amigável aos gays, autoridades abandonaram os planos de transmitir a cerimônia ao vivo em uma tela de TV gigante ao ar livre em uma praça, por medo de que adversários radicais tumultuassem a cerimônia.

Recusando-se a transformar a praça em frente à prefeitura em uma zona cercada de alta segurança, o evento, em vez disso, foi transmitido ao vivo pelo site da prefeitura da cidade.

"É um momento estressante para Victor e Bruno. Há pessoas que vão tentar marcar este dia simbólico, com palavras de ódio", disse Elodie Brun, coordenadora da Associação do Orgulho Gay local, que Aubin lidera.

Brun foi testemunha do casamento e assinou o primeiro documento da história para duas pessoas do mesmo sexo nos registros de casamento em uma nação predominantemente católica, mas ferozmente ligada à separação entre Igreja e Estado.

Acompanhe tudo sobre:CasamentoEuropaFrançaGaysLGBTPaíses ricosPreconceitos

Mais de Mundo

Nova York aprova leis para limitar uso de redes sociais por jovens

Como a renda básica a moradores de rua fez essa cidade nos EUA poupar US$ 589 mil

Os EUA vão proibir antivírus Kaspersky no país por 'risco de segurança'; entenda

Bailarina americana doa US$ 50 para instituição da Ucrânia e pode ser presa; entenda

Mais na Exame