Vacina russa contra covid Sputnik V começa a ser produzida na Argentina

A Argentina foi o primeiro país da América Latina a aprovar, em dezembro passado, a vacina do laboratório russo Gamaleya
 (Sergey Pivovarov/Reuters)
(Sergey Pivovarov/Reuters)
A
AFP

Publicado em 04/06/2021 às 17:55.

Última atualização em 04/06/2021 às 18:40.

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou o início da produção na Argentina da vacina russa contra a covid-19, Sputnik V, em uma conferência virtual com seu homólogo russo, Vladimir Putin.  

"No próximo domingo, um avião partirá para Moscou trazendo o ingrediente ativo para que a produção na Argentina comece imediatamente", disse Fernández nesta sexta-feira.

A Argentina foi o primeiro país da América Latina a aprovar, em dezembro passado, a vacina do laboratório russo Gamaleya.

"Estamos muito satisfeitos com as conquistas que alcançamos com esta vacina, porque milhões de argentinos tiveram sua vida preservada", afirmou o presidente.

A partir de agora, o laboratório privado argentino Richmond será o responsável pela fragmentação e embalagem da vacina, com capacidade inicial de produção de 1 milhão de doses mensais que espera produzir até 5 milhões no período de um ano.

A Argentina já aplicou 10,4 milhões de doses de diferentes vacinas em sua população, incluindo Sputnik V, além da AstraZeneca e Sinopharm.

Com uma população de 45 milhões de habitantes, a Argentina tem 3,8 milhões de infectados e está perto das 80.000 mortes pela covid-19.

Há meses um laboratório argentino se encarrega de desenvolver o princípio ativo da vacina AstraZeneca, fragmentada e embalada no México, embora o processo tenha sofrido imprevistos que atrasaram a produção.