Mundo

Milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson são inutilizáveis

Vários lotes da vacina contra a Covid-19 produzidos na fábrica de Baltimore terão que ser descartados

Vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson&Johnson. (AFP/AFP)

Vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson&Johnson. (AFP/AFP)

A

AFP

Publicado em 12 de junho de 2021 às 09h48.

Última atualização em 12 de junho de 2021 às 10h31.

Vários lotes da vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19 com origem em uma fábrica de Baltimore cuja produção teve que ser interrompida semanas atrás terão que ser descartados, anunciou nesta sexta-feira (11) a agência reguladora de medicamentos nos Estados Unidos (FDA).

De acordo com o jornal "New York Times", a decisão afeta cerca de 60 milhões de doses. Em março, testes de controle revelaram que 15 milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson haviam sido desperdiçadas nessa fábrica, administrada pela empresa associada Emergent BioSolutions.

O mundo segue mudando. Siga em evolução com a EXAME Academy.

Além da vacina “J&J”, também foi fabricada no local a vacina AstraZeneca. Componentes desta última foram misturados por engano com a primeira, contaminando 15 milhões de doses e as tornando inutilizáveis. Segundo autoridades, elas nunca deixaram a fábrica. A FDA enviou especialistas ao local para inspecionar as instalações e demais doses produzidas.

Hoje (12), a agência aprovou dois lotes de vacinas da Johnson & Johnson produzidos na fábrica, que poderão ser usados nos Estados Unidos ou exportados, o que equivale a 10 milhões de doses, segundo uma fonte próxima do caso. "A FDA determinou que vários outros lotes não poderão ser usados."

Ao menos 60 milhões de doses da AstraZeneca produzidos pela mesma fábrica aguardam a aprovação da agência americana para serem exportados. O Canadá anunciou hoje que não irá distribuir 300 mil doses da vacina da Johnson & Johnson produzidas na fábrica de Baltimore, por precaução.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusJohnson & JohnsonSaúdevacina contra coronavírus

Mais de Mundo

Com redução de neve no Himalaia, 25% da população global pode enfrentar escassez de água em 2024

Eleição nos EUA: Anúncio da campanha de Biden chama a atenção para status de criminoso de Trump

Empresas chinesas focam em aumentar vendas com patrocínio na Olimpíada de Paris

Vendas no varejo de bens de consumo social aumentam 3,7% na China

Mais na Exame