Mundo

Ucrânia deve assinar acordo com União Europeia em março

A Ucrânia deverá chegar a um acordo com a União Europeia em março de 2014, afirmou hoje o conselheiro do presidente


	Ucranianos participam de um protesto pela adesão do país à União Europeia: acordo deveria ter sido assinado nesta semana
 (Genya Savilov/AFP)

Ucranianos participam de um protesto pela adesão do país à União Europeia: acordo deveria ter sido assinado nesta semana (Genya Savilov/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de novembro de 2013 às 12h37.

Kiev - A Ucrânia deverá chegar a um acordo com a União Europeia em março de 2014, afirmou hoje (29) Andrii Honcharuk, conselheiro do presidente Viktor Ianukovich. O conselheiro declarou que a Ucrânia está disposta a assinar um acordo de associação e livre comércio com a União Europeia "em um futuro próximo" em troca de um pacote de ajuda.

O acordo deveria ter sido assinado nesta semana durante a cúpula de Vilnius, em Bruxelas. Nesta manhã, o presidente da Lituânia, Dália Grybauskaite, confirmou que a União Europeia não havia conseguido convencer a Ucrânia a aceitar o acordo. "Tivemos discussões anteriores em relação ao futuro da Ucrânia, mas o status continua o mesmo. O presidente Viktor Ianukovich não está pronto a ir a diante", declarou. Na ocasião, o primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, declarou que as portas permanecem abertas a Ucrânia. "Digo com força que o presidente Ianukovich que a porta permanece aberta.

Seria um erro histórico o congelamento das relações entre a Ucrânia e a União Europeia". Milhares de pessoas protestam na Ucrânia contra a decisão do presidente do país. 

Acompanhe tudo sobre:ComércioEuropaUcrâniaUnião Europeia

Mais de Mundo

Grécia vai construir a maior 'cidade inteligente' da Europa, com casas de luxo e IA no controle

Seis mortos na Nova Caledônia, onde Exército tenta retomar controle do território

Guerra nas estrelas? EUA ampliam investimentos para conter ameaças em órbita

Reguladores e setor bancário dos EUA devem focar em riscos essenciais, diz diretora do Fed

Mais na Exame