Acompanhe:

A Ucrânia afirmou, neste sábado (25), que derrubou 74 dos 75 drones russos lançados durante a noite, no que classificou como o pior ataque com estes dispositivos contra o seu território desde o início da invasão, em fevereiro de 2022.

O Exército ucraniano afirmou que a Rússia lançou um "número recorde" de drones Shahed de fabricação iraniana, a maioria derrubada sobre a capital Kiev, causando cortes de energia no centro da cidade, onde as temperaturas caíram abaixo de 0°C.

"O inimigo lançou um número recorde de drones de ataque contra a Ucrânia! O principal alvo do ataque é Kiev", declarou o comandante da Força Aérea ucraniana, general Mykola Oleschuk.

O Exército alegou ter derrubado "74 dos 75" drones Shahed.

Cinco pessoas ficaram feridas em Kiev, incluindo um menino de 11 anos, disseram as autoridades ucranianas.

O alerta aéreo na cidade durou seis horas, e os restos dos drones caídos causaram incêndios e danificaram edifícios em diferentes pontos da capital, disse o prefeito, Vitali Klitschko.

"O inimigo continua semeando o terror", disse o responsável.

Viktor Vasylenko, morador da região, disse que precisava acalmar sua filha, que sofreu "pânico e náuseas" enquanto se refugiavam em um corredor.

"A minha mulher pensou que a casa iria desabar ao meio", explicou o homem de 38 anos, acrescentando que foi a primeira vez que um ataque ocorreu tão perto.

Dezenas de edifícios sofreram cortes de energia, mas o Ministério da Energia informou que a energia foi restaurada um pouco mais tarde.

Kiev, "alvo principal"

O Exército ucraniano indicou que embora o "alvo principal" do ataque fosse Kiev, a defesa aérea também foi acionada no sul do país e um míssil teleguiado foi destruído sobre a região central de Dnipropetrovsk.

As autoridades disseram que houve cortes de energia em toda a região.

Kiev alertou e se preparou para uma nova campanha russa contra a sua rede energética com a chegada do inverno, temendo uma repetição da situação do ano passado, quando milhares de pessoas ficaram sem calefação ou luz em temperaturas abaixo de zero.

Os ataques de drones multiplicaram-se nos últimos meses e foram realizados tanto pelas forças de Kiev como pelas forças russas.

O ataque deste sábado coincide também com o “Holodomor”, a fome e morte de milhões de pessoas no país na década de 1930 devido às políticas do líder soviético Joseph Stalin.

"Mais de 70 [drones] foram derrubados na noite do Holodomor (…). Os líderes russos estão orgulhosos da sua capacidade de matar", comentou o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, nas suas redes sociais, sublinhando que é "impossível" esquecer ou perdoar esses crimes do stalinismo.

A Ucrânia perdeu entre quatro e oito milhões de habitantes na grande fome de 1932-1933 durante o processo de coletivização das suas terras. Esta fome, segundo os historiadores, foi orquestrada por Stalin para reprimir qualquer inconstância nacionalista e independentista no país, então uma república soviética.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Mãe de Alexei Navalni entra com ação judicial para liberação de corpo do ativista
Mundo

Mãe de Alexei Navalni entra com ação judicial para liberação de corpo do ativista

Há 4 horas

Embaixada dos EUA alerta viajantes sobre dengue no Brasil
Mundo

Embaixada dos EUA alerta viajantes sobre dengue no Brasil

Há 5 horas

Trump se compara a Navalny por problemas jurídicos e evita criticar Putin
Mundo

Trump se compara a Navalny por problemas jurídicos e evita criticar Putin

Há 5 horas

'Trump violou a Constituição', afirma republicana de 91 anos que busca inabilitá-lo
Mundo

'Trump violou a Constituição', afirma republicana de 91 anos que busca inabilitá-lo

Há 7 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais