Acompanhe:

Ucrânia afirma que destruiu navio de guerra russo na Crimeia, península ucraniana

A embarcação foi atacada com um drone naval ucraniano Magura, perto de Alupka, no sul da península

Modo escuro

Continua após a publicidade
"As Forças Armadas ucranianas, com unidades de inteligência militar, destruíram um grande navio de desembarque, o 'Cesar Kunikov'anunciou o Estado-Maior do Exército em seu canal do Telegram (Ministério da Defesa da Rússia/Divulgação)

"As Forças Armadas ucranianas, com unidades de inteligência militar, destruíram um grande navio de desembarque, o 'Cesar Kunikov'anunciou o Estado-Maior do Exército em seu canal do Telegram (Ministério da Defesa da Rússia/Divulgação)

O Exército da Ucrânia afirmou nesta quarta-feira, 14, que destruiu um navio de guerra russo no sul da Crimeia, uma península ucraniana anexada por Moscou há uma década. A embarcação foi atacada com um drone naval ucraniano Magura, perto de Alupka, no sul da península.

"As Forças Armadas ucranianas, com unidades de inteligência militar, destruíram um grande navio de desembarque, o 'Cesar Kunikov'", anunciou o Estado-Maior do Exército em seu canal do Telegram. O Departamento de Inteligência Militar (GUR) da Ucrânia afirmou que conseguiu abrir um buraco no lado esquerdo do navio e que a embarcação "começou a afundar".

Segundo o GUR, o navio tem capacidade abrigar 87 tripulantes e foi utilizado pela Rússia nas guerras contra a Geórgia, em 2008, e na Síria mais recentemente. Não foi divulgado o número de tripulantes a bordo no momento do ataque.

O Ministério da Defesa da Rússia não se pronunciou até o momento sobre a declaração de Kiev, mas afirmou que derrubou seis drones ucranianos "nas águas do Mar Negro".

Situação 'extremamente complexa e tensa'

O novo comandante em chefe do Exército ucraniano, Oleksander Sirski, anunciou que visitou as áreas mais sensíveis da frente de batalha leste ao lado do ministro da Defesa, Rustem Umerov, poucos dias antes do aniversário de dois anos da invasão russa.

Sirski afirmou que a situação na região é "extremamente complexa e tensa". "Os ocupantes russos continuam aumentando os esforços e superam as forças ucranianas em número", afirmou Sirski no Telegram. "Estamos tomando todas as medidas possíveis para minimizar nossas perdas e salvar as vidas de nossos soldados."

Durante a noite, as autoridades da cidade de Donetsk, leste da Ucrânia, informaram que bombardeios russos mataram três pessoas, incluindo uma criança. Os ataques aéreos atingiram nove blocos de apartamentos e um hospital em Selydove, quase 20 quilômetros ao oeste da frente de batalha. Doze pessoas ficaram feridas nos bombardeios, incluindo quatro crianças, segundo o Conselho Municipal.

O governador da região de Donetsk, Vadim Filashkin, citou dois bombardeios: o primeiro às 23h30 de terça-feira (18h30 de Brasília) e o segundo durante a madrugada. Mais de 100 pacientes foram retirados do hospital atingido e transferidos para municípios da região.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Base militar de milícia pró-Irã é atacada no Iraque
Mundo

Base militar de milícia pró-Irã é atacada no Iraque

Há 21 horas

Ucrânia ataca infraestrutura energética russa; Moscou diz que 50 drones foram abatidos
Mundo

Ucrânia ataca infraestrutura energética russa; Moscou diz que 50 drones foram abatidos

Há um dia

Governo brasileiro se manifesta pela 1ª vez sobre explosões no Irã e pede 'máxima contenção'
Brasil

Governo brasileiro se manifesta pela 1ª vez sobre explosões no Irã e pede 'máxima contenção'

Há um dia

Ataque de Israel ao Irã: como é Isfahã, a terceira cidade iraniana, com três reatores nucleares
Mundo

Ataque de Israel ao Irã: como é Isfahã, a terceira cidade iraniana, com três reatores nucleares

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais