• AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

Turquia se prepara para oferecer auxílio militar ao governo da Líbia

A Líbia permanece dividida desde que Muammar al-Gadhafi, líder de longa data do regime, foi deposto em 2011
Armas: se a Turquia fornecer assistência militar para Trípoli, outros países da região podem incrementar a ajuda, o que deve provocar um acirramento do conflito (Reuters/Mustafa Kamaci/Presidential Press Office)
Armas: se a Turquia fornecer assistência militar para Trípoli, outros países da região podem incrementar a ajuda, o que deve provocar um acirramento do conflito (Reuters/Mustafa Kamaci/Presidential Press Office)
Por Agência BrasilPublicado em 22/12/2019 12:35 | Última atualização em 22/12/2019 12:35Tempo de Leitura: 1 min de leitura

O parlamento turco aprovou neste sábado (21) um acordo militar com o governo interino da Líbia, que conta com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).

O acordo permite à Turquia fornecer armas, conduzir treinamento militar e oferecer consultoria militar.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que seu país está pronto para auxiliar, caso seja requisitado pelo governo interino da Líbia, liderado pelo primeiro-ministro Fayez al-Serraj.

As forças do governo interino, que controla a parte oeste do país, inclusive a capital, Trípoli, têm combatido tropas lideradas pelo general Khalifa Haftar, ao leste. Mais de mil pessoas, incluindo civis, teriam morrido desde abril.

A Líbia permanece dividida desde que Muammar al-Gadhafi, líder de longa data do regime, foi deposto em 2011. A ONU proíbe a exportação de armas para a Líbia.

Fontes informam que, se a Turquia fornecer assistência militar para Trípoli, outros países da região que auxiliam as forças no leste, podem incrementar a ajuda, o que deve provocar um acirramento do conflito.