Mundo

Trump condena atos de violência política após pacotes explosivos

O presidente americano afirmou que que os pacotes estão sendo inspecionados e que foi aberta uma investigação federal sobre o caso

Trump: Todo o peso do nosso governo está sendo empregado para concluir esta investigação, disse o presidente (Leah Millis/Reuters)

Trump: Todo o peso do nosso governo está sendo empregado para concluir esta investigação, disse o presidente (Leah Millis/Reuters)

E

EFE

Publicado em 24 de outubro de 2018 às 17h26.

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou nesta quarta-feira as "atrozes" tentativas de ataque com pacotes suspeitos no país e pediu união nacional para repudiar os "atos ou ameaças de violência política".

"Estamos extremamente irritados, infelizes pelo que aconteceu esta manhã, e chegaremos ao fundo disto. Temos que nos unir e enviar uma mensagem clara, contundente, inconfundível que os atos ou ameaças de violência política de qualquer tipo não têm cabimento nos EUA", disse o governante em discurso na Casa Branca.

Trump não mencionou explicitamente o ex-presidente Barack Obama, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton nem nenhum dos outros alvos dos pacotes suspeitos que foram interceptados nas últimas horas, apenas falou em geral das tentativas de ataque a "ex-altos cargos do governo" e pessoas em posições de poder.

"Esta atroz conduta é aberrante a respeito de tudo o que avaliamos e consideramos sagrado como americanos. Os pacotes estão sendo inspecionados e foi aberta uma investigação federal. Todo o peso do nosso governo está sendo empregado para concluir esta investigação e levar à Justiça os responsáveis por estes atos desprezíveis. Não pouparemos recursos nem despesas", ressaltou.

O governante recebeu informações sobre os ataques durante uma reunião com o procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions, a secretária de segurança nacional, Kirstjen Nielsen, o diretor do FBI, Christopher Wray, e o diretor do serviço secreto, Randolph Alles.

A primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, também repudiou os ataques em curta declaração à imprensa antes do pronunciamento do presidente.

"Não podemos tolerar estes ataques covardes, condeno categoricamente todos aqueles que optam pela violência", comentou a primeira-dama.

Acompanhe tudo sobre:Barack ObamaCNNDonald TrumpEstados Unidos (EUA)ExplosõesHillary ClintonPartido Democrata (EUA)Políticos

Mais de Mundo

Câmara baixa do Arizona aprova revogação de lei do século XIX que veta aborto em todos os casos

Premiê da Espanha enfrenta crise política após sua mulher ser investigada por corrupção

TikTok diz que recorrerá à Justiça após lei que pode proibi-lo nos EUA

EUA promete enviar ajuda militar à Ucrânia 'nas próximas horas'

Mais na Exame