Acompanhe:

Setor de serviços avança na Alemanha e na China

Pesquisa revela crescente desigualdade da recuperação econômica na China e na Alemanha, mas desaceleração na Grã-Bretanha e na Espanha

Modo escuro

Continua após a publicidade
O setor de serviços da China registrou o maior crescimento em quatro meses (.)

O setor de serviços da China registrou o maior crescimento em quatro meses (.)

D
Da Redação

Publicado em 3 de setembro de 2010 às, 10h36.

Londres - Pesquisas sobre o setor de serviços global destacaram nesta sexta-feira a crescente desigualdade da recuperação econômica, com retomada na China e na Alemanha, mas desaceleração na Grã-Bretanha e na Espanha.

Os dados seguem pesquisas que deram nesta semana um cenário similar para o setor manufatureiro, ainda que sinais de expansão nos Estados Unidos e na China tenham reanimado a confiança do investidor.

O setor de serviços da China registrou o maior crescimento em quatro meses, puxado pela demanda doméstica, mas o número do índice ficou abaixo da média histórica.

O HSBC informou que o índice do setor de serviços chinês, que representa uma parcela da produção econômica bem menor que a dos países desenvolvidos, subiu de 56,3 para 57,6 em agosto.

O ritmo da recuperação nos 16 países da zona do euro, cuja economia depende muito mais do setor de serviços, ficou praticamente estável em agosto, mas sinalizou uma divergência crescente, com a retomada da Alemanha ofuscada pela volta da Espanha à contração.

O índice Markit do setor de serviços da zona do euro, que representa cerca de dois terços da economia da região, subiu de 55,8 para 55,9 em agosto.

"As pesquisas destacam o desempenho desigual das economias da zona do euro, com a Alemanha desempenhando muito bem, a França apropriadamente, a Itália crescendo modestamente e a Espanha e a Irlanda ainda tendo dificuldades para desenvolver a recuperação", disse Howard Archer, economista-chefe para a Europa da IHS Global Insight.

A medida do setor de serviços espanhol caiu para 49,2. É a primeira vez desde fevereiro que o índice cai abaixo de 50, valor que separa crescimento de contração.

A Grã-Bretanha viu a atividade de seu setor de serviços ter a menor expansão dede abril de 2009, com uma queda acentuada na contratação em meio à preocupação das empresas sobre a desaceleração econômica e os cortes de gastos estatais.

O índice Markit/CIPS dos serviços britânicos caiu de 53,1 para 51,3 em agosto, uma queda muito mais forte que o declínio para 52,9 previsto em uma pesquisa da Reuters.

Leia mais notícias sobre a China

Siga as notícias do site EXAME sobre Mundo no Twitter

Últimas Notícias

Ver mais
Europa tem pior temporada de balanços desde a pandemia
seloMercados

Europa tem pior temporada de balanços desde a pandemia

Há 3 horas

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa
ESG

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa

Há 19 horas

No G20, ministro de Finanças da Alemanha mostra otimismo sobre menção a guerras em comunicado
Mundo

No G20, ministro de Finanças da Alemanha mostra otimismo sobre menção a guerras em comunicado

Há 20 horas

Europa precisa se preparar para os riscos de enfrentar uma guerra, diz Von der Leyen
Mundo

Europa precisa se preparar para os riscos de enfrentar uma guerra, diz Von der Leyen

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais