Acompanhe:

Serra: ´elementos para aproximação` com PV existem

Candidato destacou aliança com o partido durante seu governo em São Paulo e disse esperar um acordo

Modo escuro

Continua após a publicidade
O PV fez parte da base de apoio de José Serra na prefeitura e no governo de São Paulo (Arquivo)

O PV fez parte da base de apoio de José Serra na prefeitura e no governo de São Paulo (Arquivo)

E
Eduardo Kattah

Publicado em 10 de outubro de 2010 às, 03h47.

Belo Horizonte - No dia seguinte à votação em primeiro turno, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, intensificou hoje o cortejo à presidenciável do PV, Marina Silva, cuja votação serviu como fiel da balança para a ocorrência do segundo turno entre o tucano e a petista Dilma Rousseff.

Ele alegou que possui proximidade com o PV e sempre obteve o apoio da legenda verde em São Paulo, quando ocupou a Prefeitura paulistana e o governo do Estado. "Elementos para a aproximação existem e eu espero sinceramente que ela aconteça", insistiu.

"O grande secretário do Meio Ambiente, o Eduardo Jorge, foi levado por mim à Prefeitura e continuou na gestão do (Gilberto) Kassab, sem falar nas relações de amizade e proximidade com vários outros integrantes do PV. E eu espero realmente uma aproximação", afirmou. Serra compareceu no início da tarde ao velório do ex-deputado Aécio Ferreira da Cunha, pai do ex-governador e senador eleito Aécio Neves (PSDB).

Serra salientou ainda que, como governador, elaborou um programa ambiental em parceria com partido de Marina e disse que a área é prioritária para ele. Mais uma vez, elogiou a campanha de Marina afirmando que a ex-ministra do presidente Luiz Inácio Lula da Silva "contribuiu para diversificar as opções do povo brasileiro" e incorporou à política uma grande fatia da juventude brasileira.

"Contribuiu para que nós tivéssemos segundo turno, contribuiu, portanto, bastante para a democracia", disse. "Merece respeito e admiração da minha parte."

Especulação

Questionado sobre especulações relacionadas à troca do candidato a vice em sua chapa, Indio da Costa (DEM), Serra disse que tem "entendido que não há possibilidade legal". Sobre a hipótese de Aécio assumir o posto, afirmou que não acredita nessa especulação. "Não creio, não ouvi essa especulação e é melhor também não avançar muito em especulações dessa natureza."

Ao falar sobre o papel de Aécio na campanha de segundo turno, Serra demonstrou confiança no empenho do ex-governador, que levou o PSDB a uma vitória consagradora em Minas Gerais. "Creio que não seja o caso já de o Aécio se envolver num trabalho direto, imediatamente (em razão do falecimento do pai), mas acredito que ele será uma das pessoas-chave, junto com o (o governador reeleito, Antonio) Anastasia aqui em Minas e no plano nacional para que a gente chegue num final muito feliz no segundo turno."

Serra prestou condolências ao colega de partido e lamentou a morte de Aécio Cunha, a quem chamou de "patriota". "Um homem discreto. Teve momentos de muita dignidade na sua vida", disse.

Leia mais sobre José Serra

Siga as últimas notícias de Eleições no Twitter

 

Últimas Notícias

Ver mais
Bússola de Poder: o saidão da Câmara
Um conteúdo Bússola

Bússola de Poder: o saidão da Câmara

Há 5 horas

Coreia do Sul inicia eleições legislativas cruciais para o presidente
Mundo

Coreia do Sul inicia eleições legislativas cruciais para o presidente

Há 2 dias

Moro ainda pode perder o mandato? Entenda os próximos passos após senador ser absolvido no TRE-PR
Brasil

Moro ainda pode perder o mandato? Entenda os próximos passos após senador ser absolvido no TRE-PR

Há 3 dias

Análise do Alon: o debate econômico costeia o alambrado
Um conteúdo Bússola

Análise do Alon: o debate econômico costeia o alambrado

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais