Segundo dia em Davos começa discutindo impostos globais

No centro do debate nesta terça em Davos estão os impostos globais, os efeitos da pandemia de Covid, a crise na Ucrânia e a América Latina
 (Reuters/Ruben Sprich)
(Reuters/Ruben Sprich)
Por Carlo Cauti, enviado especial em Davos, SuíçaPublicado em 24/05/2022 05:30 | Última atualização em 24/05/2022 10:22Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, começa seu segundo dia de trabalhos nesta terça-feira, 24.

A programação continua nos temas centrais para Davos 2022: ESG, inflação, mundo pós-pandemia de Coronavírus e feitos da crise na Ucrânia.

Mas também começa a se discutir de uma reforma global do sistema tributário. Um assunto quase impensável de ser discutido em Davos até poucos anos atrás.

Segundo dia em Davos começa discursando sobre impostos globais

A importância da questão é evidente no horário do painel de discussão: 8h da manhã locais (3h da manhã no horário de Brasília). O primeiro compromisso do dia.

A partir das 12h locais (7h no horário de Brasília) os painéis de discussão mais importantes irão se concentrar na alta das cotações das matérias primas.

O painel "Como enfrentar o choque de preços das commodities" vai discutir sobre como os mercados globais de commodities continuam a ser abalados violentamente pelos riscos globais, resultando em maiores pressões inflacionárias e atrasando ainda mais uma sólida recuperação da economia global.

No mesmo horário, outro painel sobre "A jornada para a equidade racial" vai abordar a alta das desigualdades raciais expostas pela pandemia do Covid-19.

A América Latina será representada nos trabalhos desta terça-feira pelo painel sobre os desafios da região, que terá a participação do presidente da Colômbia, Ivan Duque, do presidente da República Dominicana, Rodrigo Chaves Robles, e do presidente do Costa Rica, Luis Rodolfo Abinader Corona.

Nesse painel serão discutidos os desafios da região, com a América Latina que continua a ser afetada por distúrbios sociais e desafios econômicos em um cenário de polarização e incerteza política.

Inflação continua no centro do debate no Fórum

O impacto da inflação na vida das pessoas, e as consequências desse aumento generalizado de preços em nível global, também voltará no centro dos debates de Davos ao longo dessa terça.

A inflação é o principal problema indicado pela maioria dos economistas presentes no Fórum Econômico Global deste ano.

O painel "A crise do custo de vida" vai tratar de como a inflação e a pandemia levaram para a pobreza cerca de 100 milhões de pessoas no mundo todo, principalmente por causa da alta generalizada dos preços dos alimentos.

Criptoativos também são destaque

As criptomoedas também terão destaque nesse segundo dia de trabalhos, com o painel sobre a "visão de Miami sobre os criptoativos".

A cidade da Flórida está se tornando o "hub mundial dos criptoativos", com o seu prefeito Francisco Suárez, que discursará no painel, que aceitou até receber parte do seu salário em Bitcoin.

A edição de Davos 2022 é, provavelmente, a mais "cripto" da história do Fórum Econômico Mundial, com uma atenção especial dentro e fora do Centro de Congressos sobre o assunto.

Entre as estrelas do segundo dia estão a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, o fundador da Microsoft, Bill Gates, que vai falar sobre a "próxima pandemia", e o secretário-geral da Organização para a Aliança do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg.

A Ucrânia também continua no centro das atenções em Davos, com muitos painéis que discutirão sobre como resolver essa crise e como evitar novos conflitos no futuro.