Mundo

Reino Unido tem dia de greve para exigir aumento de salários

Esta é uma das maiores jornadas de mobilização no país, que registra uma onda de protestos há quatro meses

O Reino Unido enfrenta o aumento dos custos dos alimentos e da energia, com uma inflação acima de 10%. (AFP/AFP Photo)

O Reino Unido enfrenta o aumento dos custos dos alimentos e da energia, com uma inflação acima de 10%. (AFP/AFP Photo)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 15 de março de 2023 às 08h35.

Última atualização em 15 de março de 2023 às 11h02.

Dezenas de milhares de trabalhadores, incluindo professores, condutores de metrô, médicos e funcionários públicos, estavam em greve nesta quarta-feira, 15, no Reino Unido para exigir aumento salarial, no dia em que o governo conservador apresentará o orçamento.

Esta é uma das maiores jornadas de mobilização no país, que registra uma onda de protestos há quatro meses.

Contexto

O Reino Unido enfrenta o aumento dos custos dos alimentos e da energia, com uma inflação acima de 10%. Em Londres, o metrô estava praticamente paralisado devido à greve dos condutores. Os médicos dos hospitais públicos estão mobilizados desde segunda-feira. Funcionários públicos também participam no protesto.

Dezenas de milhares de trabalhadores são obrigados a pedir ajuda nos bancos de alimentos e outros "pulam refeições", denunciou Mark Serwotka, secretário-geral do PCS, o principal sindicato do setor público, em entrevista ao canal Skw News.

Um protesto foi programado para o bairro de Westminster, onde o governo apresentará o orçamento ao Parlamento.

Acompanhe tudo sobre:GrevesReino UnidoProtestos

Mais de Mundo

Bailarina americana doa US$ 50 para instituição da Ucrânia e pode ser presa; entenda

EUA temem que Domo de Ferro não aguente guerra contra Hezbollah

Modi comanda sessão de ioga em região indiana de maioria muçulmana

'Cada gota conta': Moradores de Bogotá são afetados por racionamento de água há dois meses

Mais na Exame