Mundo

Regime norte-coreano reitera ameaça de novos ataques contra Coreia do Sul

Coreia do Norte avisou que responderá "sem piedade" a qualquer provocação do país vizinho

Fumaça na ilha de Yeonpyeong, na Coreia do Sul, após o ataque dos vizinhos do Norte (Getty Images)

Fumaça na ilha de Yeonpyeong, na Coreia do Sul, após o ataque dos vizinhos do Norte (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de novembro de 2010 às 05h12.

Seul - O regime comunista da Coreia do Norte direcionou novas ameaças a Seul nesta sexta-feira, ao assinalar que responderá "sem piedade" a qualquer provocação do país vizinho, dois dias antes do início das manobras militares conjuntas de Coreia do Sul e Estados Unidos no Mar Amarelo.

Em comunicado divulgado pela agência estatal "KCNA", Pyongyang assegurou, com a habitual retórica bélica, estar "preparada para aniquilar" a Coreia do Sul se a sua soberania for violada.

"Daremos um exemplo firme e sem piedade a qualquer provocação à nossa dignidade e soberania", assinala o regime de Kim Jong-il, que lançou na última terça-feira um ataque sobre a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, na fronteira marítima, que deixou quatro mortos e 18 feridos.

A troca de disparos de artilharia representa uma das disputas mais graves entre as duas Coreias desde o fim da Guerra da Coreia, entre 1950 e 1953.

Após o ataque, Coreia do Sul e EUA anunciaram que iniciarão no domingo quatro dias de manobras militares conjuntas nessa instável zona marítima, em meio a ameaças de Pyongyang.

Seul também reforçou a defesa nas ilhas do Mar Amarelo e anunciou um aumento em seu orçamento militar para 2011.

O Ministério da Defesa solicitou que o orçamento extra seja de pelo menos 264 bilhões de wons (US$ 227 milhões), destinados a adquirir armamento como mísseis guiados e sistemas de radar antiartilharia, informou a agência local "Yonhap".

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaCoreia do SulGuerrasPolítica

Mais de Mundo

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Candidato à presidência denuncia 'prisão arbitrária' de assistentes na Venezuela

Pequeno município no leste da China desenvolve indústria panificadora bilionária

Após escândalo com PwC na China, KPMG e EY assumem auditorias no país

Mais na Exame