Mundo

Reator de água de complexo nuclear norte-coreano pode estar operando no próximo verão, diz Seul

As preocupações aumentaram após a agência de energia atômica da ONU (AIEA) ter detectado sinais indicando o início da operação do reator no complexo de Yongbyon

Hoje, Wonsik também afirmou que a Coreia do Sul já havia detectado atividades semelhantes relacionadas ao sistema de resfriamento associadas ao reator no verão passado (Divulgação/Getty Images)

Hoje, Wonsik também afirmou que a Coreia do Sul já havia detectado atividades semelhantes relacionadas ao sistema de resfriamento associadas ao reator no verão passado (Divulgação/Getty Images)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 29 de dezembro de 2023 às 15h31.

Última atualização em 29 de dezembro de 2023 às 15h44.

Um reator de água leve (LWR, na sigla em inglês) do principal complexo nuclear da Coreia do Norte provavelmente estará operando no próximo verão, segundo o ministro da Defesa da Coreia do Sul, Shin Wonsik.

A estimativa do funcionamento do reator ocorre em meio a suspeitas de que a Coreia do Norte possa usá-lo como uma nova fonte de material físsil para armas nucleares.

As preocupações aumentaram após a agência de energia atômica da ONU (AIEA) ter detectado sinais indicando o início da operação do reator no complexo de Yongbyon.

Reator em atividade?

O diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, disse na semana passada que a agência observou aumento dos níveis de atividade no reator e próximo a ele e, desde meados de outubro, um forte fluxo de água do sistema de resfriamento. Ele disse ainda que o reator é "motivo de preocupação" porque pode produzir plutônio.

Hoje, Wonsik também afirmou que a Coreia do Sul já havia detectado atividades semelhantes relacionadas ao sistema de resfriamento associadas ao reator no verão passado.

Acompanhe tudo sobre:Coreia do NorteArmas nucleares

Mais de Mundo

Câmara baixa do Arizona aprova revogação de lei do século XIX que veta aborto em todos os casos

Premiê da Espanha enfrenta crise política após sua mulher ser investigada por corrupção

TikTok diz que recorrerá à Justiça após lei que pode proibi-lo nos EUA

EUA promete enviar ajuda militar à Ucrânia 'nas próximas horas'

Mais na Exame