Mundo

Presidente de Guiana e Maduro terão encontro na quinta-feira; Lula foi convidado

Carta assinada pelo primeiro-ministro Ralph Gonsalves, de São Vicente e Granadinas, confirmou reunião no âmbito da CELAC

Guiana-Venezuela: Maduro manteve conversas com Lula e Gonsalves, nas quais fez a "proposta de realizar uma reunião de alto nível (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Guiana-Venezuela: Maduro manteve conversas com Lula e Gonsalves, nas quais fez a "proposta de realizar uma reunião de alto nível (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 11 de dezembro de 2023 às 06h52.

Última atualização em 11 de dezembro de 2023 às 06h52.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e seu homólogo da Guiana, Irfaan Ali, vão se reunir na quinta-feira para tratar sobre a disputa de seus países pela região rica em petróleo de Essequibo. A reunião está sendo intermediada pelo governo de São Vicente e Granadinas, que receberá a reunião.

O primeiro-ministro de São Vicente e Granadinas, Ralph Gonsalves, informou em carta dirigida a Maduro e Ali, que a reunião será realizada no dia 14 de dezembro, às 10h (11h em Brasília).

“Dados os acontecimentos e circunstâncias que rodearam a disputa territorial (...) avaliamos, no interesse de todos (...), a necessidade urgente de desescalar o conflito e instituir um diálogo adequado, face a face, entre os presidentes da Guiana e da Venezuela", observa o texto. “Ambos (os presidentes) têm sido a favor desta posição na busca pela coexistência pacífica”.

O encontro será promovido pela Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), da qual Gonsalves é presidente pro tempore, e pela Comunidade do Caribe (CARICOM). A carta também menciona que o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, também convidado.

O governo brasileiro disse que, por enquanto, o assessor da Presidência para Assuntos Internacionais, Celso Amorim, deve representar Lula no encontro, mas afirmou que a questão ainda não está fechada.

Conversas com líderes

Maduro manteve conversas com Lula e Gonsalves, nas quais fez a "proposta de realizar uma reunião de alto nível com a República Cooperativa da Guiana", de acordo com a chancelaria venezuelana por meio de um comunicado.

"Estou ativando ao máximo a Diplomacia Bolivariana de Paz, sempre em defesa dos direitos históricos da Venezuela. Uma vez mais, derrotaremos a mentira, as provocações e as ameaças contra o nosso povo. Nossa Pátria Venezuela!", escreveu Maduro na plataforma X (antigo Twitter).

De acordo com o Palácio do Planalto, a conversa entre Lula e Maduro tratou da disputa com a Guiana pela região de Essequibo, rica em petróleo. De acordo com o governo, Lula "transmitiu a crescente preocupação dos países da América do Sul sobre a questão do Essequibo". Lula ressaltou que é importante evitar medidas unilaterais que levem a uma escalada da situação, de acordo com o Palácio do Planalto.

A Venezuela e a Guiana disputam o território do Essequibo há mais de um século, mas as tensões se intensificaram desde que o governo Maduro realizou um polêmico referendo, no domingo passado, no qual 95% dos eleitores apoiaram declarar a Venezuela como legítima detentora da região, segundo os resultados oficiais.

Outros países da América do Sul, além de Rússia, Reino Unido e Estados Unidos, pediram nos últimos dias uma distensão e uma solução pacífica para as tensões.

Acompanhe tudo sobre:GuianaNicolás Maduro

Mais de Mundo

Blinken se encontra com Zelensky em visita surpresa à Ucrânia e reafirma apoio dos EUA

Inundações deixam 50 mortos e 27 desaparecidos na Indonésia

Melinda Gates vai deixar Fundação Gates para focar no ‘próximo capítulo’ de sua filantropia

Guterres reforça pedido por cessar-fogo em Gaza após morte de funcionário da ONU

Mais na Exame