Mundo

Por que o Brasil está fora do top 10 em ranking global de turismo

Lista desenvolvida pelo Fórum Econômico Mundial é liderada pelos EUA, Espanha, e Japão

Praia do Flamengo, no Rio de Janeiro (Buda Mende/Getty Images)

Praia do Flamengo, no Rio de Janeiro (Buda Mende/Getty Images)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 21 de maio de 2024 às 15h21.

Última atualização em 21 de maio de 2024 às 17h55.

O setor de turismo deve retomar, em 2024, o volume de turistas internacionais e a contribuição para o PIB global que tinha antes da pandemia, aponta um relatório do Fórum Econômico Mundial, divulgado nesta terça, 21.

O estudo, chamado TTDI (Índice de Desenvolvimento de Viagens e Turismo, na sigla em inglês), aponta também quais países possuem mais condições de ampliar os negócios no setor. O Brasil aparece na 26ª posição neste ranking geral.

No topo da lista de países mais aptos para o desenvolvimento do turismo estão Estados Unidos, Espanha, Japão, França e Austrália. (Veja a lista completa mais abaixo).

Em 2019, antes da pandemia, os EUA, receberam 165 milhões de turistas estrangeiros ao longo do ano. O Brasil, apenas 6,3 milhões.

O TTDI é divulgado a cada dois anos, mas teve um intervalo maior por causa da pandemia, que travou o setor de turismo na maioria dos países, por causa das barreiras sanitárias e outras medidas para conter o espalhamento da Covid. A última edição do estudo foi em 2021, mas a metodologia foi modificada, o que dificulta comparações diretas.

Pontos fortes e fracos do Brasil

Segundo o relatório, o Brasil tem como pontos fortes a riqueza de recursos naturais (5º lugar global), recursos culturais robustos (11º lugar) e competitividade em bons preços.

Na comparação com 2019, o Brasil teve melhora na estrutura de portos e transporte terrestre (de 103º para 98º lugar), mas se manteve estagnado na estrutura de transporte aéreo, em 46º lugar.

Outros pontos a melhorar para o país são o ambiente de negócios -o Brasil está em 98º, em segurança (110º lugar) e recursos humanos (72º lugar).

“É essencial reduzir a lacuna entre a capacidade de diferentes economias de construir um ambiente propício para que seu setor de viagens e turismo prospere”, disse Lis Tussyadiah, Professora e Diretora da Divisão de Gestão de Hospitalidade e Turismo da Universidade de Surrey, que também atua na elaboração do estudo. “O setor tem muito potencial para promover a prosperidade e mitigar os riscos globais, mas esse potencial só pode ser totalmente realizado implementando uma abordagem estratégica e inclusiva.”

Apesar destes pontos, o Brasil, mesmo em 26º lugar, está em melhor posição no ranking na América Latina, à frente de Chile (31º), México (38º) e Argentina (49º).

As principais economias para o desenvolvimento do turismo, segundo o Fórum Econômico Mundial

  1. Estados Unidos (nota 5,24)
  2. Espanha (5,18)
  3. Japão (5,09)
  4. França (5,07)
  5. Austrália (5)
  6. Alemanha (5)
  7. Reino Unido (4,96)
  8. China (4,94)
  9. Itália (4,90)
  10. Suíça (4,81)

26. Brasil (4,41)

Acompanhe tudo sobre:TurismoFórum Econômico Mundial

Mais de Mundo

Cúpula do G7: reunião entre líderes mundiais discutirá saídas para Ucrânia e Gaza, veja quais

Vice-presidente do Malawi morre em acidente de avião

Amsterdã remove das ruas câmeras chinesas de vigilância por risco de espionagem

Aviões movidos a energia solar começam a virar realidade e ganham os céus

Mais na Exame