Mundo

Poluição atinge índices alarmantes em Pequim e Nova Délhi

A capital da China, Pequim, estava nesta segunda-feira com um alerta de poluição na cor "laranja", o segundo nível mais alto

Pessoas se protegem contra poluição em Pequim (Kim Kyung-Hoon/REUTERS)

Pessoas se protegem contra poluição em Pequim (Kim Kyung-Hoon/REUTERS)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de novembro de 2015 às 08h59.

Pequim/Nova Délhi - As capitais dos dois países mais populosos do mundo, China e Índia, ficaram cobertas por poluição sufocante e perigosa nesta segunda-feira, dia em que se iniciaram em Paris as conversações sobre as mudanças climáticas no planeta, das quais os líderes de ambos os países participam.

A capital da China, Pequim, estava nesta segunda-feira com um alerta de poluição na cor "laranja", o segundo nível mais alto, o que levou ao fechamento de estradas, suspensão de obras e a um aviso para que moradores permanecessem em casa.

A poluição asfixiante foi causada pelo tempo "desfavorável", informou o Ministério da Proteção Ambiental no domingo.

As emissões de poluentes no norte da China sobem durante o inverno, quando os sistemas de aquecimento urbano são ligados e as baixas velocidades de vento impedem a dispersão do ar poluído.

Em Nova Délhi, a estação de monitoramento da embaixada dos Estados Unidos registrou um índice de qualidade do ar de 372 -–o que deixa os níveis de poluição do ar em território "perigoso".

Uma névoa espessa de poluição atmosférica cobriu a cidade e a visibilidade estava reduzida a cerca de 200 metros.

A qualidade do ar em Nova Délhi, cidade de 16 milhões de habitantes, é normalmente ruim no inverno, já que a população mais pobre usa o carvão para o aquecimento.

No entanto, o governo não emitiu nenhum alarme sobre a qualidade atual do ar e não há avisos para a população. Trinta mil corredores participaram de uma meia maratona no fim de semana, quando os níveis de poluição eram igualmente altos.

Em Pequim, cidade de 22,5 milhões de habitantes, o índice de qualidade do ar em algumas partes subiu para 500, o nível mais alto possível.

Em níveis mais altos do que 300 os moradores são incentivados a permanecer em casa, de acordo com as diretrizes do governo.

O ar perigoso evidencia o desafio do governo, que combate a poluição causada pelo setor de energia a carvão, e levantará dúvidas em Paris sobre a sua capacidade de limpar a economia.

O presidente chinês, Xi Jinping, e primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, estão ambos em Paris e devem encontrar-se com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nesta segunda-feira.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaChinaÍndiaMeio ambienteMetrópoles globaisNova DeliPoluição

Mais de Mundo

Qual seria o impacto do programa econômico de Donald Trump nos EUA?

Brasil não tem nenhuma cidade no ranking das melhores do mundo; veja lista

Em Pequim, Amorim assina proposta com a China sobre guerra na Ucrânia

Coreia do Sul, China e Japão farão primeiro encontro desde 2019

Mais na Exame