Podcast EXAME Política: por que resultado da eleição dos EUA pode demorar

Ao contrário do que acontece no Brasil, o tempo para apurar votos nos EUA neste ano deve ser longo. Ouça no podcast EXAME Política, todas as sextas-feiras

A morte da juíza Ruth Bader Ginsburg embaralhou uma eleição que já estava acirrada nos Estados Unidos. Agora, o presidente Donald Trump trava uma batalha para indicar um novo nome à Suprema Corte antes mesmo da eleição algo que o Partido Republicano proibiu o ex-presidente Barack Obama de fazer em 2015.

A nomeação à Suprema Corte e como ela impacta nas eleições de 3 de novembro é um dos temas do novo episódio do podcast EXAME Política – Temporada Eleições Americanas, que vai ao ar todas as sextas-feiras com os grandes temas da eleição nos Estados Unidos. 

O podcast conta com a participação de Maurício Moura, fundador do instituto de pesquisa IDEIA e professor da George Washington University na área de políticas públicas, e o jornalista Sérgio Teixeira Junior, que de Nova York cobre as eleições americanas para a EXAME. A editora de macroeconomia da EXAME, Fabiane Stefano, media o debate.

Além da vantagem numérica que os republicanos conservadores podem ter na Suprema Corte caso consigam indicar um novo juiz, é também a Corte quem deve julgar potenciais recursos na eleição deste ano. E, como afirma Moura, desavenças não devem faltar.

"A gente pode ter em 2020 várias Flóridas 2000", disse, fazendo referência à eleição em que George W. Bush venceu o democrata Al Gore. A Suprema Corte terminou tendo de decidir sobre o apertado pleito na Flórida, que poderia ter mudado o resultado nacional. Naquela ocasião, os resultados demoraram semanas e são debatidos até hoje. O caso só acabou porque Al Gore decidiu não entrar na Justiça para recorrer da decisão.

O mesmo embate pode acontecer desta vez, mas em mais estados e em um cenário de mais disputas. "Dessa vez, o cenário é muito mais polarizador para que os dois partidos briguem tanto nas justiças estaduais quanto na Suprema Corte", diz Moura.

O podcast traz ainda os novos resultados de pesquisa exclusiva EXAME/IDEIA na Geórgia, um dos estados "candidatos a confusão" neste ano. Na sondagem, realizada entre 21 e 23 de setembro, Trump e Biden aparecem cada um com 46% das intenções de voto no estado. A Geórgia já foi um importante reduto republicano, mas a disputa ficou mais apertada com a alta rejeição de Trump entre os eleitores negros. 

O podcast EXAME Política vai ao ar todas as sextas-feiras com os principais temas da eleição americana. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou siga em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.