Mundo

Partido de oposição na Índia recupera acesso a contas bancárias congeladas após discrepância fiscal

O departamento fiscal indiano pede 2,1 bilhões de rúpias (US$ 25,3 milhões) em multas por atraso

Índia: perda de acesso às contas impossibilitaria para o partido fazer campanha para a próxima votação nacional nas próximas semanas (Getty Images/Reprodução)

Índia: perda de acesso às contas impossibilitaria para o partido fazer campanha para a próxima votação nacional nas próximas semanas (Getty Images/Reprodução)

Publicado em 16 de fevereiro de 2024 às 06h17.

O principal partido de oposição na Índia, o Congresso Nacional Indiano, anunciou nesta sexta-feira, 16, ter acesso às suas contas bancárias novamente. Pouco mais de uma hora antes, representantes do partido haviam dito que elas haviam sido congeladas pelo departamento fiscal do país. As informações são da Bloomberg.

O partido conseguiu o acesso temporário após apelar na Justiça, e há outra audiência na próxima quarta-feira, 21, para decidir sobre o caso. O partido do Congresso alega que suas contas foram congeladas na última quarta-feira, 14, devido a discrepâncias em suas declarações de impostos. 

O departamento fiscal indiano pede 2,1 bilhões de rúpias (US$ 25,3 milhões) em multas por atraso. O pedido veio apenas semanas antes das eleições nacionais serem realizadas.

"Em nosso país, a democracia acabou, ela foi acorrentada, ela foi trancada", disse Ajay Maken, tesoureiro do partido e líder sênior, em uma coletiva de imprensa na última sexta-feira. "Este não é o bloqueio e acorrentamento das contas do Congresso, é da democracia indiana."

A perda de acesso às contas impossibilitaria para o partido fazer campanha para a próxima votação nacional. O líder sênior do partido, Rahul Gandhi, está atualmente em uma marcha em todo o país e viajando a pé e de ônibus da Índia Oriental para a Ocidental.

A oposição da Índia acusa o governo do primeiro-ministro Narendra Modi de usar as agências federais de aplicação da lei do país para ataques a seus adversários. Numerosos políticos indianos, incluindo o chefe do governo de Nova Delhi, estão atualmente sendo investigados por outra agência federal, a Diretoria de Execução, que investiga lavagem de dinheiro. No início deste mês, a agência federal prendeu o chefe do governo do estado oriental de Jharkhand. Ambos fazem parte de uma oposição que espera derrubar Modi após uma década no poder.

"Isto fortalece a impressão de que o partido no poder está tentando sufocar a oposição, sejam os seus líderes ou em termos financeiros", disse Arati Jerath, uma analista política baseada em Nova Delhi, à Bloomberg. "É um ataque de todos os lados."

Acompanhe tudo sobre:ÍndiaNarendra Modi

Mais de Mundo

"Portugal deve pagar pela escravidão", diz presidente do país

Senado dos EUA aprova pacote de ajuda de US$ 95 bi para Ucrânia, Israel e Taiwan

Maduro anuncia reabertura de escritório de Direitos Humanos da ONU na Venezuela

Suprema Corte dos EUA analisa se Trump dispõe de imunidade presidencial

Mais na Exame