Mundo

Mundo seria mais seguro com Kadafi e Saddam, diz Trump

O pré-candidato republicano à presidência dos EUA disse que o mundo seria mais seguro se não tivessem acabado as ditaduras de Muammar Kadafi e Saddam Hussein


	O pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump
 (Dominick Reuter/AFP)

O pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump (Dominick Reuter/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 4 de outubro de 2015 às 14h42.

Washington - O pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste domingo que o mundo seria mais seguro se não tivessem acabado as ditaduras de Muammar Kadafi, na Líbia, e Saddam Hussein, no Iraque, e que fazer algo similar com Bashar al Assad terá as mesmas consequências na Síria.

Em entrevista ao programa "Meet the Press", Trump considerou que Iraque e Líbia se tornaram um "desastre" desde que Saddam Hussein e Muammar Kadafi perderam o poder.

"Não tivesse ocorrido o que aconteceu em Benghazi, trata-se de apenas uma situação que foi terrível", disse em referência ao ataque contra a missão diplomática dos EUA na Líbia em 2012, que causou a morte de quatro americanos, entre eles o embaixador do país americano, Christopher Stevens.

"Gastamos US$ 2 trilhões no Iraque, provavelmente US$ 1 trilhão no Afeganistão. Estamos destruindo nosso país", acrescentou o multimilionário, que se opôs à Guerra do Iraque impulsionada pelo ex-presidente George W. Bush.

Trump afirmou não ser contra que o presidente russo, Vladimir Putin, intervenha na Síria para atacar o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e que também ajude o líder sírio a se manter no poder.

Além disso, considerou que os ataques que enfraqueceram o regime de Al Assad são os que provocaram o fluxo em massa de refugiados sírios rumo à Europa.

"Focamos na Líbia, e o que fizemos lá foi um desastre. Focamos em Saddam Hussein no Iraque, olha o que fizemos lá, um desastre. Isto (na Síria) vai dar no mesmo", concluiu. 

Acompanhe tudo sobre:CelebridadesDonald TrumpEmpresáriosEstados Unidos (EUA)IraqueMuammar KadafiPaíses ricosPolíticos

Mais de Mundo

Para aumentar inovação, Xangai emite regulamento para gestão de projetos de tecnologias disruptivas

Aprovação de Lei de Bases marca nova fase de Milei, diz analista argentino

Irã está expandindo suas capacidades nucleares, diz agência de energia atômica da ONU

Inflação na Argentina cai pela metade e atinge 4,2% em maio

Mais na Exame