Acompanhe:

Legisladores do estado de Montana, no noroeste dos Estados Unidos, aprovaram, nesta sexta-feira, 14,, a proibição total do TikTok a partir de 2024, aumentando a pressão sobre a popular plataforma de vídeos, acusada de ser uma ferramenta do Partido Comunista Chinês.

A iniciativa, a primeira do tipo em um estado americano, foi aprovada por 54 votos a favor e 43 contra, e servirá de teste legal para uma proibição federal da plataforma de propriedade do grupo chinês ByteDance, o que os legisladores em Washington pedem cada vez mais.

Se o governador de Montana promulgá-lo, o projeto de lei será objeto de uma batalha ferrenha e sem precedentes por parte do TikTok nos tribunais estaduais e federais.

Antes da votação, uma porta-voz do TikTok disse que a constitucionalidade do projeto de lei em última instância "será decidida pelos tribunais".

"Vamos continuar lutando pelos usuários e criadores do TikTok em Montana, cujos meios de vida e direitos da Primeira Emenda estão ameaçados com este excesso governamental abominável", acrescentou a porta-voz.

Segundo a lei proposta, Apple e Google teriam que eliminar o TikTok de suas lojas de aplicativos e as empresas se exporiam a multas diárias de 10.000 dólares (cerca de R$ 50 mil) caso se descubra que infringiram a lei.

A proibição proposta entraria em vigor em 2024, mas é quase certo que vá enfrentar desafios legais, dada sua natureza inédita nos Estados Unidos.

O projeto de lei de Montana é o embate mais recente entre o TikTok e vários governos ocidentais. O aplicativo já é proibido nos dispositivos governamentais de Estados Unidos, Canadá e vários países europeus.

Apesar de sua imensa popularidade, o TikTok também enfrenta um ultimato da Casa Branca para se separar de seus proprietários chineses ou parar de operar nos Estados Unidos.

O aplicativo é acusado por uma ampla gama de políticos americanos de estar sob a tutela do governo chinês e de ser uma ferramenta de espionagem de Pequim, o que a empresa nega.

Ao apresentar o projeto de lei, na quinta-feira, o representante do estado de Montana, Brandon Ler, disse que o Partido Comunista Chinês "se esconde atrás do TikTok para espionar os americanos".

Proibição do Tiktok gera críticas

Analistas legais e críticos insistem em que o projeto de lei se excede e é, em grande medida, simbólico. Afirmam, ainda, que promover uma iniciativa tão drástica é quase impossível em nível local.

"Como realmente implementariam este projeto de lei parece muito pouco claro", afirmou Andrew Selepak, professor de redes sociais na Universidade da Flórida.

O projeto de lei "parece mais uma espécie de declaração do que algo prático", acrescentou. Os defensores da liberdade de expressão se opuseram à lei.

"A aprovação desta lei fragilizaria a Primeira Emenda e pisotearia o direito constitucional dos cidadãos de Montana à liberdade de expressão", diz uma carta destinada aos legisladores de Montana pela União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) e outras associações.

A repressão ao TikTok em Montana ocorre enquanto o aplicativo enfrenta outras propostas de lei federais, incluindo um projeto de lei que poderia dar à Casa Branca novos poderes maciços para supervisionar as empresas tecnológicas chinesas.

No mês passado, o diretor-executivo do TikTok, Shou Zi Chew, enfrentou um interrogatório exaustivo de cinco horas diante de combativos legisladores americanos tanto democratas, quanto republicanos, sobre os vínculos do aplicativo com o governo chinês.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Embaixada dos EUA alerta viajantes sobre dengue no Brasil
Mundo

Embaixada dos EUA alerta viajantes sobre dengue no Brasil

Há 3 horas

Trump se compara a Navalny por problemas jurídicos e evita criticar Putin
Mundo

Trump se compara a Navalny por problemas jurídicos e evita criticar Putin

Há 4 horas

'Trump violou a Constituição', afirma republicana de 91 anos que busca inabilitá-lo
Mundo

'Trump violou a Constituição', afirma republicana de 91 anos que busca inabilitá-lo

Há 5 horas

Líderes internacionais evitam comentar crise entre Brasil e Israel
Mundo

Líderes internacionais evitam comentar crise entre Brasil e Israel

Há 7 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais