Mundo

McCarthy perde a décima tentativa de presidir a Câmara

Sem a eleição do novo presidente da Câmara, os novos deputados não podem ser empossados e todos os ritos legislativos - da aprovação de leis à instauração de comissões - estão em suspenso

US Representative Hakeem Jeffries (D-NY) points to US Representative Matt Gaetz (R-FL) on the House Floor as voting continues for new speaker at the US Capitol in Washington, DC, on January 5, 2023. - The US House of Representatives plunged deeper into crisis Thursday as Republican favorite Kevin McCarthy failed again to win the speakership -- entrenching a three-day standoff that has paralyzed the lower chamber of Congress. (Photo by MANDEL NGAN / AFP) (Photo by MANDEL NGAN/AFP via Getty Images) (MANDEL NGAN/Getty Images)

US Representative Hakeem Jeffries (D-NY) points to US Representative Matt Gaetz (R-FL) on the House Floor as voting continues for new speaker at the US Capitol in Washington, DC, on January 5, 2023. - The US House of Representatives plunged deeper into crisis Thursday as Republican favorite Kevin McCarthy failed again to win the speakership -- entrenching a three-day standoff that has paralyzed the lower chamber of Congress. (Photo by MANDEL NGAN / AFP) (Photo by MANDEL NGAN/AFP via Getty Images) (MANDEL NGAN/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 6 de janeiro de 2023 às 08h25.

A Câmara de Representantes dos EUA seguia ontem em estado de paralisia pelo terceiro dia seguido diante do impasse provocado por disputas internas nas fileiras republicanas. Kevin McCarthy, apoiado pelo ex-presidente Donald Trump para presidir a Casa, fez novas concessões após ser rejeitado por ser muito moderado, mas o aceno foi insuficiente e ele perdeu outras quatro votações ontem. Com dez eleições indefinidas, o processo é o mais longo nos EUA desde 1859.

Sem a eleição do novo presidente da Câmara, os novos deputados não podem ser empossados e todos os ritos legislativos - da aprovação de leis à instauração de comissões - estão em suspenso.

Esta é a primeira vez em séculos que se exige várias rodadas de votação para a nomeação do presidente da Câmara. Apesar das oito votações desde terça-feira, 3, McCarthy não conseguiu os 218 votos necessários para se tornar presidente, o terceiro posto mais poderoso na política americana depois da presidência e vice-presidência dos EUA. Segundo o regulamento, novas votações serão realizadas até que um candidato alcance a maioria. Na oitava votação, 17 dos detratores de McCarthy votaram pelo outro candidato republicano proposto, Byron Donalds.

Na tentativa de obter apoios, McCarthy fez novas concessões a um grupo de 20 congressistas radicais e ofereceu reduzir de cinco para um o número de membros necessários para patrocinar uma resolução para forçar uma votação para destituir o presidente. McCarthy também expressou vontade de colocar mais membros conservadores na Comissão de Regras da Câmara, que debate uma legislação antes de ser levada ao plenário. Dois aliados de McCarthy - o novo líder da maioria na Câmara, Steve Scalise, e Jim Jordan, um favorito de direita - parecem alternativas mais viáveis.

LEIA TAMBÉM:

Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Em Cannes, cineastas argentinos levantam a voz contra os cortes de Milei

Entenda a importância do reconhecimento de um Estado Palestino por Espanha, Irlanda e Noruega

Quais são as rotas aéreas com mais turbulência do mundo? Veja ranking

Mais na Exame