Mundo

Mais de 30 mortos em ataque contra manifestantes em Sanaa

Protesto exigia a renúncia do presidente Ali Abdullah Saleh, do Iêmen

Opositor ferido durante protesto no Iêmen: partidários do regime abriram fogo sobre a manifestação (Ahmad Gharabli/AFP)

Opositor ferido durante protesto no Iêmen: partidários do regime abriram fogo sobre a manifestação (Ahmad Gharabli/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de março de 2011 às 11h58.

Sanaa - Mais de 30 pessoas morreram e pelo menos 100 ficaram feridas nesta sexta-feira após disparos contra manifestantes que exigiam a renúncia do presidente iemenia Ali Abdullah Saleh em Sanaa, segundo um balanço divulgado por fontes médicas.

A oposição acusa o regime de ter cometido um "massacre".

"Esta matança não contribuirá para manter Ali Abdullah Saleh no poder", afirmou ao canal Al-Arabiya o porta-voz da oposição parlamentar, Mohamed al-Sabri.

De acordo com testemunhas, os partidários do regime abriram fogo sobre a manifestação a partir dos telhados dos edifícios próximos à Praça da Universidade, onde acontecem protestos desde 21 de fevereiro para exigir a saída de Saleh.

"Muitos feridos foram atingidos por balas na cabeça, pescoço e peito", afirmou um médico à AFP.

Os manifestantes gritavam "o povo quer a queda do regime". Muitos exibiam cartazes de cor amarela, uma iniciativa de um grupo de jovens que batizou o dia de "sexta-feira da advertência" contra o presidente Saleh, que está no poder há 32 anos.

Os disparos tiveram início quando os manifestantes tentaram derrubar uma barricada criada por partidários do governo para bloquear uma das ruas que leva à Praça da Universidade.

A polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes e abriu fogo.

Acompanhe tudo sobre:IêmenPolíticaPolítica no BrasilProtestos

Mais de Mundo

Com margem estreita, Milei tenta aprovar pacote de reformas no Senado argentino

Às vésperas do G7, EUA anuncia mais sanções contra Rússia pela guerra na Ucrânia

Gorjetas no exterior: dicas para viajar sem estresse

Milei retira Aerolíneas e Correios de lista de privatizações para tentar aprovar Lei de Bases

Mais na Exame