Mundo

Maduro pede retratação de Capriles para participar de debate

O presidente interino disse que aceitará debater com seu principal adversário nas eleições, se o opositor pedir perdão à família de Chávez por duvidar do dia de sua morte


	Nicolás Maduro: o presidente interino apontou que Capriles "cometeu muitas ofensas graves à memória do comandante Hugo Chávez"
 (REUTERS/Miraflores Palace)

Nicolás Maduro: o presidente interino apontou que Capriles "cometeu muitas ofensas graves à memória do comandante Hugo Chávez" (REUTERS/Miraflores Palace)

DR

Da Redação

Publicado em 14 de março de 2013 às 07h02.

Caracas - O presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quarta-feira que aceitará debater com Henrique Capriles, seu principal adversário nas eleições de 14 de abril, se o opositor pedir perdão publicamente à família de Hugo Chávez por duvidar do dia em que o governante morreu.

"Se o candidato da oposição se retratar e pedir perdão publicamente à família, se ele pedir perdão publicamente ao povo, eu pensaria em fazermos um debate público ou os debates que o povo quiser", disse Maduro durante uma entrevista à emissora privada "Venevisión".

O presidente interino apontou que Capriles "cometeu muitas ofensas graves à memória do comandante Hugo Chávez" quando, no domingo, colocou em dúvida que o líder tivesse morrido no dia anunciado pelo Governo.

"Quem sabe quando morreu o presidente Chávez?", questionou Capriles após aceitar ser o candidato da oposição.

Uma das filhas do governante falecido, María Gabriela Chávez, divulgou na terça-feira uma carta na qual assegurou que seu pai morreu no dia 5 de março e exigiu que aos opositores que "não brinquem" com a dor da família e do povo.

Na carta, María Gabriela pediu "aos senhores da oposição doente, especialmente ao senhor Capriles, que não sejam tão sujos, apesar de sempre se dizer que a política é suja".

Acompanhe tudo sobre:América LatinaEleiçõesNicolás MaduroPolíticosVenezuela

Mais de Mundo

Guerra nas estrelas? EUA ampliam investimentos para conter ameaças em órbita

Reguladores e setor bancário dos EUA devem focar em riscos essenciais, diz diretora do Fed

Bandeira invertida coloca Suprema Corte dos EUA em apuros

Primeiro-ministro eslovaco passa por nova cirurgia e segue em estado grave

Mais na Exame