Mundo

Lufthansa e Air France evitam Sinai após queda de avião

A alemã Lufthansa e a Air France-KLM preferiram evitar a região por motivos de segurança


	Aviões da Lufthansa: empresa decidiu não voar sobre a Península do Sinai por motivos de segurança
 (AFP)

Aviões da Lufthansa: empresa decidiu não voar sobre a Península do Sinai por motivos de segurança (AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 31 de outubro de 2015 às 14h39.

Berlim/Paris - Duas das maiores empresas aéreas da Europa decidiram não voar sobre a península do Sinai enquanto esperam esclarecimentos sobre o que provocou a queda de um avião comercial russo com 224 passageiros na área neste sábado.

A alemã Lufthansa e a Air France-KLM preferiram evitar a região por motivos de segurança, disseram as porta-vozes das duas companhias.

“Tomamos a decisão de evitar a área porque a situação e as razões da queda não estão claras”, afirmou a representante da Lufthansa. "Continuaremos a evitar a área até ficar claro o que causou a queda." A Lufthansa tem menos de 10 voos diários que cruzam a região, declarou.

“A Air France confirma que adotou, por precaução, medidas para evitar voos sobre a zona do Sinai”, informou a porta-voz da empresa.

Acompanhe tudo sobre:ÁfricaAir France-KLMÁsiaAviaçãocompanhias-aereasEgitoEmpresasEmpresas alemãsEmpresas francesasEuropaLufthansaRússia

Mais de Mundo

Por que os EUA ainda não colocaram humanos em Marte?

China apresenta exército de cães robôs equipados com metralhadoras; veja o vídeo

Estoque de urânio do Irã preocupa comunidade internacional

África do Sul se prepara para eleições legislativas cruciais

Mais na Exame