Mundo

Itália: mais de mil prefeitos pedem permanência de Draghi como premiê

Draghi apresentou sua renúncia ao presidente da Itália, Sergio Mattarella, na quinta-feira

Premiê italiano, Mario Draghi, em 4 jul. 2022

 (AFP/AFP)

Premiê italiano, Mario Draghi, em 4 jul. 2022 (AFP/AFP)

A

AFP

Publicado em 17 de julho de 2022 às 14h26.

Última atualização em 17 de julho de 2022 às 17h25.

Mais de mil prefeitos assinaram, neste domingo (17), um abaixo-assinado, no qual pediram ao primeiro-ministro Mario Draghi que reconsidere sua renúncia e continue à frente do governo.

"Nós, prefeitos, (...) pedimos a Mario Draghi que explique ao Parlamento por que o governo deve continuar", diz a petição, assinada por prefeitos de Florença, Roma e Veneza, entre outros.

O texto critica o "comportamento irresponsável" do Movimento 5 Estrelas (M5E), que se absteve de participar de uma votação de confiança na semana passada, uma decisão que Draghi havia alertado que derrubaria o governo.

Draghi apresentou sua renúncia ao presidente da Itália, Sergio Mattarella, na quinta-feira (14). Como resposta, foi orientado a esperar para ver era possível continuar com o atual governo até as eleições gerais no início do ano que vem.

Na quarta-feira (20), deve se dirigir ao Parlamento para explicar se quer tentar manter o governo vivo, ou renunciar.

A Itália sofre com o aumento da inflação, com as consequências da guerra na Ucrânia e ainda tem pendentes as reformas necessárias para poder acessar o plano de recuperação financiado pela União Europeia, de cerca de 200 bilhões de euros.

LEIA TAMBÉM: Novo governo na Itália? O que esperar após a tentativa de renúncia de Draghi

Acompanhe tudo sobre:Itália

Mais de Mundo

Trump pede apoio de evangélicos nas eleições de novembro

Bombardeio aéreo russo atinge prédio residencial e deixa três mortos e 37 feridos, afirma Ucrânia

Egito quer penalizar empresas turísticas pelas mortes de peregrinos em Meca

Governo colombiano inicia diálogo com dissidência das Farc

Mais na Exame