Mundo

Homem é condenado no Reino Unido por fabricar arma com impressora 3D

O homem de 26 anos não tinha porte de armas e alegou que estava imprimindo uma pistola para um projeto universitário

Armas: a polícia encontrou componentes para fabricar uma arma em 3D na casa do jovem em 2017 (Jahi Chikwendiu/Getty Images)

Armas: a polícia encontrou componentes para fabricar uma arma em 3D na casa do jovem em 2017 (Jahi Chikwendiu/Getty Images)

A

AFP

Publicado em 19 de junho de 2019 às 14h12.

Um homem de 26 anos foi declarado culpado por um tribunal de Londres, nesta quarta-feira (19), por ter fabricado uma arma de fogo com uma impressora 3D - um fato sem precedentes, de acordo com a polícia britânica.

"Esta condenação que é, acredito, a primeira deste tipo (...) impediu que uma arma terminasse nas mãos de criminosos", afirmou o sargento Jonathan Roberts, responsável pela investigação, em um comunicado.

Inicialmente, a polícia encontrou componentes para fabricar uma arma em 3D na casa do jovem, durante uma operação de busca por drogas em sua residência, no centro de Londres, em outubro de 2017.

O condenado, que não tem porte de arma, alegou que estava imprimindo uma pistola para um projeto universitário e disse desconhecer se poderia realmente matar.

"Uma busca em seu histórico na Internet revelou que havia visto vídeos, explicando como usar uma impressora 3D para fabricar armas de fogo que disparam munição real", relatou a polícia.

Em sua casa, em uma segunda batida policial feita em fevereiro de 2018, também foram encontrados componentes adicionais de armas 3D.

A sentença será pronunciada em 9 de agosto.

Acompanhe tudo sobre:ArmasImpressoras 3DLondresPrisõesReino Unido

Mais de Mundo

Grécia vai construir a maior 'cidade inteligente' da Europa, com casas de luxo e IA no controle

Seis mortos na Nova Caledônia, onde Exército tenta retomar controle do território

Guerra nas estrelas? EUA ampliam investimentos para conter ameaças em órbita

Reguladores e setor bancário dos EUA devem focar em riscos essenciais, diz diretora do Fed

Mais na Exame