Mundo

Guatemala decreta estado de calamidade por incêndios de florestas e lixão

Desde novembro foram registrados 1.384 incêndios, principalmente florestais, em todo o território, que arrasaram 7.344 hectares

Incêndios na Guatemala: governante lamentou que 80% dos incêndios sejam provocados por pessoas (CARLOS ALONZO / AFP)

Incêndios na Guatemala: governante lamentou que 80% dos incêndios sejam provocados por pessoas (CARLOS ALONZO / AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 10 de abril de 2024 às 20h53.

O presidente da Guatemala, Bernardo Arévalo, decretou, nesta quarta-feira, 10, estado de calamidade por 30 dias em todo o país pelos incêndios em florestas e em um depósito de lixo que ameaçam a saúde dos moradores da capital e arredores.

"O estado de calamidade tem o propósito de enfrentar os incêndios de uma maneira mais ágil", afirmou o presidente, após detalhar que a decisão foi tomada em conselho de ministros.

O governante social-democrata explicou que a medida busca fortalecer "com insumos materiais as brigadas que combatem os incêndios através da compra de equipamento de proteção pessoal e ferramentas".

Segundo a estatal Coordenadoria para a Redução de Desastres (Conred), desde novembro foram registrados 1.384 incêndios, principalmente florestais, em todo o território, que arrasaram 7.344 hectares.

Incêndios criminosos

O governante lamentou que 80% dos incêndios sejam provocados por pessoas, como ocorreu no lixão de Villa Nueva, ao sul da capital, onde 33 municípios depositam cerca de 126 mil toneladas de lixo por mês, segundo as autoridades.

"Como Governo, rechaçamos estes atos que colocam em perigo a vida dos guatemaltecos, já que o aumento da poluição e das partículas geradas pela combustão têm efeitos adversos na saúde", comentou o mandatário.

O incêndio no depósito de lixo começou no fim de semana e levou as autoridades a suspenderem as aulas nas escolas de três departamentos, Escuintla, Sacatepéquez e Guatemala.

Além disso, as autoridades recomendaram evitar a prática de exercícios ao ar livre e a permanência em lugares abertos, e pediram que os moradores mantenham portas e janelas fechadas, e utilizassem máscara devido à poluição do ar que alcançou níveis prejudiciais para a saúde.

Problemas de saúde

O ministro da Saúde, Oscar Cordón, detalhou que 205 pessoas foram atendidas em hospitais por causa da poluição.

"Também é importante ressaltar o dano que os incêndios causam à biodiversidade do país", lamentou o presidente.

Arévalo explicou que o estado de calamidade também permite ao governo "fazer um chamado para receber a colaboração internacional de aeronaves" para apagar mais rápido os incêndios.

A cada ano as chamas consumem milhares de hectares de florestas na Guatemala. A temporada de maior incidência vai de novembro a junho devido à ausência de chuvas.

A maioria dos incêndios é provocada pela atividade humana, como a preparação do solo para o plantio, segundo as autoridades.

Acompanhe tudo sobre:GuatemalaIncêndios

Mais de Mundo

Guerra nas estrelas? EUA ampliam investimentos para conter ameaças em órbita

Reguladores e setor bancário dos EUA devem focar em riscos essenciais, diz diretora do Fed

Bandeira invertida coloca Suprema Corte dos EUA em apuros

Primeiro-ministro eslovaco passa por nova cirurgia e segue em estado grave

Mais na Exame