Acompanhe:

Famílias de vítimas do MH370 voltam a falar em indenizações

O voo MH370 desapareceu em março do ano passado enquanto voava de Kuala Lumpur para Pequim com 239 passageiros e tripulantes a bordo

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Parentes de passageiros do voo desaparecido MH370 da Malaysia Airlines: a maioria das pessoas no avião era da China
 (Goh Chai Hin/AFP)

Parentes de passageiros do voo desaparecido MH370 da Malaysia Airlines: a maioria das pessoas no avião era da China (Goh Chai Hin/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 31 de julho de 2015 às, 14h36.

Sydney - A descoberta de destroços de avião em uma ilha remota ao sul do Oceano Índico reanimou os esforços dos familiares dos passageiros de um voo da Malaysia Airlines desaparecido para buscar indenizações maiores, disseram advogados do setor aéreo.

O voo MH370 desapareceu em março do ano passado enquanto voava de Kuala Lumpur para Pequim com 239 passageiros e tripulantes a bordo.

Ainda não se encontrou nenhum vestígio comprovadamente da aeronave, mas o surgimento de um objeto, identificado por especialistas em aviação como parte de uma asa, na ilha de Reunião, a leste de Madagascar, pode ser a primeira pista do caso.

A maioria das pessoas no avião era da China. Zhang Qihuai, advogado que representa as famílias, disse à Reuters que mais de 30 familiares na China já concordaram em processar a empresa se for confirmado que os destroços são parte do avião desaparecido.

Joseph Wheeler, conselheiro especial da firma de advocacia Maurice Blackburn Lawyers, da cidade australiana de Melbourne, também afirmou que iniciou novas conversas com mais famílias na Malásia desde a descoberta de quarta-feira.

“Isso está desencadeando uma retomada do monitoramento e das recomendações às famílias”, disse Wheeler à Reuters. “Se houver indício de que a aeronave teve problemas técnicos, isso pode muito bem desencadear uma onda de ações civis em todo o mundo, predominantemente na Malásia e na China”, disse.

Zhang afirmou que os familiares discutiram entrar com processos na China, na Malásia ou nos Estados Unidos.

Uma autoridade malaia e especialistas em aviação disseram que a peça recuperada, uma parte da asa de entre 2 e 2,5 metros conhecida como flaperon, quase certamente é parte de um Boeing 777, o mesmo tipo de avião do voo MH370.

Em janeiro, a Malaysia Airlines anunciou o desaparecimento como um acidente, abrindo caminho para pagar indenizações aos parentes das vítimas enquanto a busca pela aeronave desaparecida transcorre em uma área ampla 1.600 quilômetros ao oeste da Austrália.

Últimas Notícias

Ver mais
Governo Lula fará novo heliponto no Planalto até para carro voador; custo é de R$ 769 mil
Brasil

Governo Lula fará novo heliponto no Planalto até para carro voador; custo é de R$ 769 mil

Há 2 dias

Latam tem novo espaço em Guarulhos para check-in doméstico de passageiros premium
Casual

Latam tem novo espaço em Guarulhos para check-in doméstico de passageiros premium

Há 3 dias

Com nova lei, empresas de transporte rodoviário interestadual prometem investir R$ 3,6 bi no setor
Um conteúdo Bússola

Com nova lei, empresas de transporte rodoviário interestadual prometem investir R$ 3,6 bi no setor

Há 3 dias

Mesmo com empresa em crise, CEO da Boeing ganhou 45% a mais ano passado: US$ 32 milhões
seloMercados

Mesmo com empresa em crise, CEO da Boeing ganhou 45% a mais ano passado: US$ 32 milhões

Há 6 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais