Mundo

Exército dos EUA lança ataque na Síria contra líder do EI

Esta nova incursão, que faz parte do dispositivo dos EUA para eliminar os líderes do EI após a derrota em 2019 na Síria, foi realizada em uma área controlada por grupos armados pró-turcos

Dois outros "indivíduos armados" morreram no ataque, disse o Comando do Exército dos EUA para o Oriente Médio (Centcom) em comunicado (AFP/AFP Photo)

Dois outros "indivíduos armados" morreram no ataque, disse o Comando do Exército dos EUA para o Oriente Médio (Centcom) em comunicado (AFP/AFP Photo)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 17 de abril de 2023 às 10h29.

O exército dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira, 17, que realizou um ataque com helicópteros no norte da Síria contra um chefe do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), responsável por ataques na Europa e no Oriente Médio, afirmando que ele "provavelmente" morreu.

Esta nova incursão, que faz parte do dispositivo dos EUA para eliminar os líderes do EI após a derrota em 2019 na Síria, foi realizada em uma área controlada por grupos armados pró-turcos no norte do país.

Dois outros "indivíduos armados" morreram no ataque, disse o Comando do Exército dos EUA para o Oriente Médio (Centcom) em comunicado, sem especificar a identidade de nenhum dos três homens mortos.

Nenhum civil ou membro das forças americanas foi morto ou ferido na operação, acrescentou a mesma fonte.

Grupo turco

Um grupo turco presente na região de Sweida, onde ocorreu o ataque, afirmou que dois de seus combatentes foram mortos.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), "violentos confrontos eclodiram em um ataque com dois projéteis contra um prédio onde se encontrava um membro do EI".

Este homem e dois outros combatentes morreram, afirmou o OSDH.

O exército americano anunciou no início de abril que matou, na Síria, Khaled Aydd Ahmad Al Jaburi, líder do EI responsável por ataques na Europa.

Em seu apogeu, o EI reivindicou a responsabilidade por uma série de ataques mortais na Europa. Na época, o grupo controlava grande parte da Síria e do Iraque, onde havia proclamado um "califado".

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)SíriaEstado IslâmicoGuerras

Mais de Mundo

Tribunal impõe penas de prisão à família mais rica do Reino Unido por exploração de funcionários

Dez prefeitos da oposição na Venezuela são inabilitados por 15 anos após apoio a Edmundo González

Nova York aprova leis para limitar uso de redes sociais por jovens

Como a renda básica a moradores de rua fez essa cidade nos EUA poupar US$ 589 mil

Mais na Exame