Mundo

Eventual saída de Orlando não tumultua para governo, diz Temer

Para o vice-presidente, porém, a expectativa do governo é que Silva permaneça no cargo

Temer: "Eu acho que o Brasil ainda pode comemorar. Temos notícias do que acontece hoje na Europa e até, de maneira preocupante, nos Estados Unidos" (Lailson Santos/Veja)

Temer: "Eu acho que o Brasil ainda pode comemorar. Temos notícias do que acontece hoje na Europa e até, de maneira preocupante, nos Estados Unidos" (Lailson Santos/Veja)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de outubro de 2011 às 04h50.

São Paulo - O vice-presidente Michel Temer disse na noite de hoje, em Salvador (BA), esperar que as denúncias envolvendo o ministro do Esporte sejam esclarecidas, mas avisou: uma eventual mudança no comando da pasta "não tumultua minimamente" o governo.

"Quando sai um ministro, imediatamente se nomeia outro e o governo tem sequência natural", afirma Temer, que esteve na Bahia para participar da abertura do 25º Congresso Brasileiro de Direito Administrativo. "Não há tumulto nenhum, não há crise administrativa, o governo não para quando sai um ministro."

Para o vice-presidente, porém, a expectativa do governo é que Silva permaneça no cargo. "O governo está contando que o ministro faça todos os esclarecimentos que vem fazendo, ele é uma peça importantíssima e vem fazendo um excepcional trabalho", avalia Temer.

Ele diz não acreditar que as denúncias tenham sido originadas em outros partidos da base aliada - o chamado "fogo amigo" - ou de entidades esportivas, como a CBF. "Esperamos que ele continue, mas de qualquer maneira, isso (a eventual saída) não tumultua minimamente a questão do esporte no País."

Acompanhe tudo sobre:GovernoMDB – Movimento Democrático BrasileiroMichel TemerMinistério do EsporteOrlando SilvaPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileiros

Mais de Mundo

Chanceler israelense ameaça Hezbollah libanês com 'guerra total'

Alemanha alerta risco de ataques terroristas semelhantes ao de Moscou

Sob críticas da Otan, Putin desembarca na Coreia do Norte para estreitar parceria 'estratégica'

Milei perde apoio em 18 de 24 municípios da Grande Buenos Aires, mostra pesquisa

Mais na Exame