Mundo

Estônia, Letônia e Lituânia expulsam diplomatas russos

As suas ações não estão em consonância com a Convenção de Viena sobre relações diplomáticas, disse o ministro da Estônia

A expulsão dos diplomatas russos foi uma resposta ao envenenamento no Reino Unido do ex-espião russo (Mark Thompson/Getty Images)

A expulsão dos diplomatas russos foi uma resposta ao envenenamento no Reino Unido do ex-espião russo (Mark Thompson/Getty Images)

E

EFE

Publicado em 26 de março de 2018 às 13h09.

Última atualização em 26 de março de 2018 às 13h13.

Berlim - Estônia, Letônia e Lituânia anunciaram nesta segunda-feira a expulsão de vários diplomatas russos em resposta ao envenenamento no Reino Unido do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, que foram hospitalizados no dia 4 de março após serem expostos a um agente químico.

Em uma coletiva de imprensa, o ministro das Relações Exteriores da Estônia, Sven Mikser, anunciou que o embaixador da Rússia em seu país foi informado que o adido militar russo alocado nessa embaixada tem uma semana para deixar o país.

"As suas ações não estão em consonância com o estipulado na Convenção de Viena sobre relações diplomáticas", argumentou o ministro, citado pela emissora de radiotelevisão estoniana, em alusão a atividades de espionagem.

 

O ministro das Relações Exteriores da Letônia, Edgars Rinkevics, informou através do Twitter que, "em solidariedade com o Reino União após o ataque de Salisbury e a violação da Convenção de Viena, a Letônia se une a muitos países da União Europeia" com a expulsão de um diplomata russo e a inclusão de um cidadão russo em uma lista negra.

O Ministério de Relações Exteriores da Lituânia, por sua vez, informou sobre a expulsão de três diplomatas russos, segundo o site de notícias "Delfi".

Acompanhe tudo sobre:DiplomaciaEstôniaLetôniaRússia

Mais de Mundo

Ataque aéreo de Israel a Rafah após novo ataque do Hamas deixa ao menos 35 mortos

Doze pessoas ficam feridas por conta de turbulência durante voo da Qatar Airways

Tornados e tempestades deixam ao menos 14 mortos no sul dos EUA

Arábia Saudita nomeia primeiro embaixador na Síria desde 2012

Mais na Exame