Mundo

Estados Unidos passa da marca de 100 mil mortes por coronavírus

Os Estados Unidos ainda são o país mais afetado pela pandemia do coronavírus e se tornam o primeiro a passar da marca, segundo levantamento da rede NBC

Times Square, em Nova York: Estados Unidos continuam no topo do ranking dos países mais afetados pela covid-19 (Bloomberg/Divulgação)

Times Square, em Nova York: Estados Unidos continuam no topo do ranking dos países mais afetados pela covid-19 (Bloomberg/Divulgação)

Gabriela Ruic

Gabriela Ruic

Publicado em 27 de maio de 2020 às 16h10.

Última atualização em 27 de maio de 2020 às 16h44.

Os Estados Unidos passaram da marca de 100 mil mortes por covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, nesta quarta-feira (27), com 100.112 mortes registradas. O país continua o mais afetado pela pandemia, com agora quase 1,7 milhão de casos confirmados. As informações são da rede de notícias americana NBC.

No mapa interativo da Universidade Johns Hopkins o país está próximo de chegar ao número divulgado pela rede de televisão, com 99.724 mortes. Em casos confirmados, os Estados Unidos também se aproximam de 1,7 milhão de casos neste levantamento. Para se ter ideia, a China, país no qual a doença se originou, não passou das 85 mil mortes até o momento.

O levantamento mostra, ainda, que o ritmo do crescimento do número de casos e mortes por coronavírus no Brasil estão levando o país ao topo do ranking. De acordo com o mapa, o país já passou dos 391.222 casos confirmados e quase 25 mil mortes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) há dias alerta para a situação na América Latina, que chamou do novo epicentro da pandemia no mundo no último final de semana. De acordo com a entidade, o aumento desenfreado de casos e mortes na região causam “muita preocupação”. E o país que está no centro das ansiedades da OMS é justamente o Brasil.

Acompanhe tudo sobre:América do SulAmérica LatinaCoronavírusDoençasEpidemiasEstados Unidos (EUA)OMS (Organização Mundial da Saúde)

Mais de Mundo

Governo de Javier Milei revisará indenizações às vítimas da ditadura na Argentina

Hezbollah lança ataque mais profundo a Israel em resposta à morte de um de seus membros

Musk acusa Austrália de censura após bloqueio de vídeo de ataque terrorista

Mais na Exame