Mundo

Depardieu pode perder habilitação por conduzir bêbado

O ator foi pego pilotando uma motocicleta bêbado no final de novembro, em Paris


	Gérard Depardieu em sua moto em Paris: quem dirige embriagado na França pode ser punido com uma multa de 4.500 euros e até dois anos de prisão
 (Jacques Demarthon/AFP)

Gérard Depardieu em sua moto em Paris: quem dirige embriagado na França pode ser punido com uma multa de 4.500 euros e até dois anos de prisão (Jacques Demarthon/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de maio de 2013 às 09h35.

Moscou - A promotoria francesa pediu que Gérard Depardieu seja multado e perca a carteira de habilitação por dez meses. O ator foi pego pilotando uma motocicleta bêbado no final de novembro, em Paris.

Na ocasião, o astro apresentou uma taxa de 1,8 grama de álcool por litro de sangue - muito superior ao limite atual da França, 0,5 grama. Ele havia caído da moto que conduzia, mas não ficou ferido e nem machucou outras pessoas.

O ator, que está rodando um filme na Chechênia, enviou um advogado para o representar no tribunal nesta sexta-feira, em Paris. Sua presença não era considerada essencial.

O advogado disse que Depardieu "está morando atualmente na Bélgica". O francês, de 64 anos, conseguiu a nacionalidade russa em janeiro, depois de uma polêmica com o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault.

Isso ocorreu após o ator ter decidido se mudar para a Bélgica por discordar da política fiscal da França.

É possível que o tribunal pronuncie ainda nesta sexta-feira a decisão. Quem dirige embriagado na França pode ser punido com uma multa de 4.500 euros e até dois anos de prisão.

Acompanhe tudo sobre:Atores e atrizesbebidas-alcoolicasEuropaFrançaPaíses ricos

Mais de Mundo

Para aumentar inovação, Xangai emite regulamento para gestão de projetos de tecnologias disruptivas

Aprovação de Lei de Bases marca nova fase de Milei, diz analista argentino

Irã está expandindo suas capacidades nucleares, diz agência de energia atômica da ONU

Inflação na Argentina cai pela metade e atinge 4,2% em maio

Mais na Exame