Mundo

Coalizão árabe afirma que bombardeio no Iêmen é legítimo

A Arábia Saudita defendeu o ataque que matou dezenas de crianças e afirmou que o bombardeio foi realizado conforme o direito internacional humanitário

O bombardeio atingiu um ônibus que transportava crianças na região de um mercado da cidade (Mohamed al-Sayaghi/Reuters)

O bombardeio atingiu um ônibus que transportava crianças na região de um mercado da cidade (Mohamed al-Sayaghi/Reuters)

E

EFE

Publicado em 9 de agosto de 2018 às 10h32.

Riad - A coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita afirmou que o bombardeio realizado nesta quinta-feira no noroeste do Iêmen, que atingiu um ônibus que transportava crianças, é uma "ação militar legítima".

"O ataque que aconteceu hoje na província de Saada é uma ação militar legítima contra os elementos que planejaram e fizeram o ataque contra civis na noite de ontem na cidade de Jizan (Arábia Saudita) que matou e feriu civis", disse o porta-voz da coalizão, Turki al Maliki, em comunicado.

O bombardeio "foi realizado conforme o direito internacional humanitário e as suas normas costumeiras", disse Al Maliki.

Além disso, a coalizão "tomará todas as medidas contra os atos criminosos e terroristas das milícias terroristas houthis pertencentes ao Irã, como o recrutamento de crianças, levá-las ao campo de batalha e usá-las como ferramentas e como cobertura dos seus atos terroristas", acrescentou.

No ataque, realizado na cidade de Dahyan, ao norte de Saada, dezenas de pessoas foram mortas ou ficaram feridas, segundo informou a Cruz Vermelha iemenita.

O bombardeio atingiu um ônibus que transportava crianças na região de um mercado da cidade.

O porta-voz do Ministério da Saúde do Governo dos houthis, Youssef al Hadari, disse à Agência Efe que 39 pessoas morreram e 43 ficaram feridas no ataque, segundo "dados preliminares".

Acompanhe tudo sobre:Arábia SauditaCriançasExplosõesIêmenMortes

Mais de Mundo

'Todo mundo com Edmundo!': oposição esquenta campanha presidencial na Venezuela

Biden e Trump trocam ataques em atos de campanha

Muro 'anti-Haiti' vira bandeira eleitoral na República Dominicana

Grécia vai construir a maior 'cidade inteligente' da Europa, com casas de luxo e IA no controle

Mais na Exame