Mundo

Chineses cultivam milho transgênico ilegal, diz Greenpeace

Pequim tem investido bilhões de dólares para desenvolver culturas transgênicas visando garantir o abastecimento de alimentos para sua população


	Plantação de milho: Pequim tem investido bilhões de dólares para desenvolver culturas transgênicas
 (thinkstock)

Plantação de milho: Pequim tem investido bilhões de dólares para desenvolver culturas transgênicas (thinkstock)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de janeiro de 2016 às 08h47.

Pequim - Os agricultores da China estão cultivando de forma ilegal milho geneticamente modificado no nordeste da China, afirmou a organização ambiental Greenpeace nesta quarta-feira.

Pequim tem investido bilhões de dólares para desenvolver culturas transgênicas visando garantir o abastecimento de alimentos para sua população de 1,4 bilhão pessoas, mas ainda não aprovou o cultivo comercial em meio a um sentimento local contra organismos geneticamente modificados.

A denúncia parece confirmar preocupações de que Pequim não será capaz de supervisionar o plantio de culturas transgênicas, quando o cultivo comercial for permitido, levando problemas na segregação de produtos geneticamente modificados e convencionais.

No seu relatório, o Greenpeace disse que 93 por cento das amostras colhidas no ano passado em campos de milho em cinco condados da província de Liaoning, importante região produtora da China, testaram positivo para transgênicos.

O Ministério da Agricultura não respondeu imediatamente a pedidos de comentários sobre o relatório do Greenpeace.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaChinaGreenpeaceMeio ambiente

Mais de Mundo

Nissan emite alerta para veículos equipados com airbags Takata nos Estados Unidos

Eslovênia endossa reconhecimento da Palestina e envia proposta ao parlamento

Governo australiano investiga possível ataque cibernético à Ticketmaster

Campanha mexicana termina com candidato a prefeito assassinado em frente às câmeras

Mais na Exame