Acompanhe:

Chile inicia campanha para referendo de sua nova Constituição

15 milhões de cidadãos responderão em 4 de setembro se aprovam ou não o texto

Modo escuro

Continua após a publicidade
A presidente da Convenção Constitucional do Chile, María Elisa Quinteros, exibe a primeira versão da nova Constituição (AFP/AFP)

A presidente da Convenção Constitucional do Chile, María Elisa Quinteros, exibe a primeira versão da nova Constituição (AFP/AFP)

A
AFP

Publicado em 6 de julho de 2022 às, 15h53.

O Chile iniciou, nesta quarta-feira (6), a campanha para o referendo de 4 de setembro que definirá o destino da nova constituição, com líderes políticos tradicionais inclinados a rejeitá-la, enquanto movimentos sociais e o mundo da cultura levantam a bandeira da aprovação.

A dois meses da consulta em que os mais de 15 milhões de cidadãos responderão se aprovam ou rechaçam o texto, "será novamente o povo quem terá a última palavra sobre o seu destino", disse na segunda-feira o presidente Gabriel Boric.

No plebiscito de outubro de 2020, 78% dos que votaram aprovaram a redação de uma nova Carta Magna. No entanto, como a participação foi voluntária, apenas 50% dos eleitores compareceram às urnas. Agora, a aprovação ou não do texto em 4 de setembro deverá ser feita por voto obrigatório.

As pesquisas mais recentes dão vantagem ao 'Rejeito'. Segundo o levantamento realizado pela Criteria, a não aprovação tem 48%, o 'Aprovo' tem 31%, e 22% se disseram indecisos, enquanto a pesquisa da Cadem aponta 51% para o "Rejeito", 34% para o "Aprovo" e 15% de indecisos e o site TuInfluyes.com mostra 46% de rejeição, 41% de aprovação e 13% de indecisos.

A campanha iniciada hoje mostra forte presença nos meios de comunicação nacionais de vozes que rejeitam o projeto que consideram "partidário", pois, segundo elas, "não suscita consenso" e foi elaborado por uma Constituinte com ares revanchistas.

"O Chile merece uma Constituição que suscite consenso [...] O desafio político é continuar com o debate constitucional até chegar a uma Constituição que interprete a maioria", escreveu em uma carta de grande repercussão o ex-presidente socialista Ricardo Lagos, de 84 anos.

Por outro lado, nas redes sociais, viralizou uma postagem do ator Pedro Pascal, famoso por protagonizar a série "The Mandalorian" do universo Star Wars, com uma imagem em que ele aparece mordendo um "exemplar" da nova Constituição acompanhada das hashtags #Apruebo ("aprovo", em tradução livre) e #AprueboFeliz ("aprovo feliz").

Para Rodrigo Espinoza, cientista político da Universidade Diego Portales, "as elites dos partidos tradicionais estão se inclinando para o 'Rejeito', enquanto do lado do 'Aprovo' estão ressoando vozes cidadãs como as do mundo da cultura, dos movimentos sociais, do movimento feminista".

"Acredito que o 'Aprovo' vai ficar mais nas mãos do mundo social do que dos partidos políticos no Chile", acrescentou o acadêmico.

O novo texto estabelece um catálogo de direitos sociais com base nas reivindicações apresentadas durante a onda de protestos de 2019.

Saúde pública universal e de qualidade, educação gratuita, aposentadorias dignas e a proteção da água e do meio ambiente foram algumas das reivindicações que ficaram refletidas na nova carta.

São 388 artigos, divididos em 11 capítulos e 57 normas transitórias de aplicação. O primeiro artigo diz: "O Chile é um Estado social e democrático de direito. É plurinacional, intercultural, regional e ecológico".

Últimas Notícias

Ver mais
Venezuela e Rússia ampliam cooperação petroleira e citam uso de energia nuclear
Mundo

Venezuela e Rússia ampliam cooperação petroleira e citam uso de energia nuclear

Há uma semana

Chanceler russo chega a Cuba nesta segunda para giro pela América Latina
Mundo

Chanceler russo chega a Cuba nesta segunda para giro pela América Latina

Há uma semana

Alckmin defende transição do Reintegra até a reforma tributária
Economia

Alckmin defende transição do Reintegra até a reforma tributária

Há uma semana

Com Milei, Argentina consegue em janeiro 1º superávit fiscal mensal em mais de uma década
Mundo

Com Milei, Argentina consegue em janeiro 1º superávit fiscal mensal em mais de uma década

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais