Mundo

Canadá é primeiro país do G7 a subir juro após crise

Ottawa - O Canadá se tornou a primeira nação do G7 a iniciar o ciclo de alta dos juros após a crise financeira global, aumentando a taxa básica nesta terça-feira em 0,25 ponto percentual, para 0,50 por cento. O Banco do Canadá não garantiu a continuidade das altas, que vinham sendo mantidas em 0,25 por […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 1 de junho de 2010 às 10h58.

Ottawa - O Canadá se tornou a primeira nação do G7 a iniciar o ciclo de alta dos juros após a crise financeira global, aumentando a taxa básica nesta terça-feira em 0,25 ponto percentual, para 0,50 por cento.

O Banco do Canadá não garantiu a continuidade das altas, que vinham sendo mantidas em 0,25 por cento desde abril de 2009. A instituição afirmou que a crise da dívida na Europa e a recuperação econômica desequilibrada no mundo atrapalham a confiança em um crescimento sustentado.

"Dada a considerável incerteza ao redor das perspectivas, qualquer redução adicional do estímulo monetário teria que ser considerada com cuidado face aos acontecimentos domésticos e internacionais" afirmou o banco central em comunicado.

Após dois trimestres de crescimento econômico robusto no Canadá, o banco afirmou que a atividade tem ficado em linha com suas expectativas, bem como a inflação.

A crise da dívida na Grécia e em alguns outros países europeus até agora teve impacto apenas limitado sobre o Canadá por meio da baixa do preço das commodities. Mas o banco afirmou que alguns países poderão ser forçados a ajustar rapidamente suas contas e que isso, junto com a redução da dívida de bancos e pessoas físicas, pode desacelerar o crescimento global.

Acompanhe tudo sobre:Crises em empresasJurosTaxas

Mais de Mundo

Coreia do Norte envia balões com ‘lixo e fezes’ para a Coreia do Sul

Com alto custo de guerra, Rússia planeja aumentar impostos sobre empresas e mais ricos

Putin manda recado ao Ocidente: 'Não deixem a Ucrânia usar seus mísseis'

EUA não vai mudar política com Israel após ataque de Rafah, diz Casa Branca

Mais na Exame