Acompanhe:

Brasil paga R$ 4,6 bilhões, quita dívidas com órgãos internacionais e garante direito de voto na ONU

País quitou atrasos referentes a missões de paz e saldou dívidas com convenções internacionais para o meio ambiente e com o Mercosul

Modo escuro

Continua após a publicidade
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em discurso na ONU (Leandro Fonseca/Exame)

Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em discurso na ONU (Leandro Fonseca/Exame)

O Brasil quitou as dívidas com instituições internacionais ao pagar R$ 4,6 bilhões em compromissos financeiros em 2023. Esses pagamentos incluíram contribuições regulares a organismos internacionais, integralização de cotas de bancos multilaterais e recomposições de fundos internacionais.

O país honrou todas as suas contribuições ao orçamento regular da ONU (aproximadamente R$ 289 milhões) e quitou passivos de R$ 1,1 bilhão referentes a missões de paz da ONU, garantindo o direito de voto na Assembleia Geral das Nações Unidas em 2024.

Os pagamentos realizados permitiram a recuperação do direito de voto em diversos organismos internacionais, como a Organização Internacional para as Migrações, a Organização do Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares, a Agência Internacional de Energia Atômica, entre outros.

O Brasil saldou dívidas importantes na área ambiental e de mudança do clima, incluindo contribuições para convenções como a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) , o Protocolo de Quioto, a Convenção sobre Diversidade Biológica, a Convenção de Estocolmo e a Convenção de Minamata.

Além das contribuições para organismos globais, o Brasil honrou suas obrigações financeiras com organizações regionais com Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem), com o pagamento de aproximadamente R$ 500 milhões, e a quitação da dívida com a Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), com a Secretaria do Mercosul e com o Parlasul.

Pagamento em lei

Para este ano, o governo implementou mudanças no tratamento orçamentário para despesas internacionais, reclassificando despesas no Projeto da Lei Orçamentária Anual como obrigatórias, evitando futuros acúmulos de passivos com organismos internacionais.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Governadores querem contrapartida para combate a crimes federais na negociação de dívida dos estados
Brasil

Governadores querem contrapartida para combate a crimes federais na negociação de dívida dos estados

Há 11 horas

Após ataque do Irã a Israel, Conselho de Segurança da ONU e G7 se reúnem para discutir conflito
Mundo

Após ataque do Irã a Israel, Conselho de Segurança da ONU e G7 se reúnem para discutir conflito

Há um dia

Crise no Haiti: ONU diz que quase 100 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe por violência de gangues
Mundo

Crise no Haiti: ONU diz que quase 100 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe por violência de gangues

Há 3 dias

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?
ESG

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais