Mundo

Biden viaja a Los Angeles para evento de arrecadação de fundos com celebridades

Encontro conta com a presença do ex-presidente Barack Obama e de atores como George Clooney e Julia Roberts

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (Danny KEMP/AFP)

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (Danny KEMP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 15 de junho de 2024 às 16h46.

Tudo sobreEleições EUA 2024
Saiba mais

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, voou diretamente de uma reunião do G7 na Itália para Los Angeles, onde participará com celebridades de um evento de arrecadação de fundos para a sua campanha eleitoral.

Astros de Hollywood, como os atores George Clooney e Julia Roberts, vão se unir ao ex-presidente Barack Obama em uma noite de gala que já arrecadou 28 milhões de dólares, a maior quantia na história do Partido Democrata, segundo a equipe de campanha de Biden.

O presidente americano estará ao lado de Obama, de quem foi vice-presidente, em um programa moderado pelo comediante americano Jimmy Kimmel.

Vários atores vão participar do evento, que acontecerá no Teatro Peacock e será encerrado com uma atração musical surpresa.

A campanha de Biden informou que o dinheiro arrecadado em Los Angeles vai ajudar a aumentar a equipe e a montar escritórios em estados-chave, bem como a pagar pelos anúncios na TV.

Os candidatos à reeleição travaram uma batalha pela arrecadação de fundos: Biden conseguiu arrecadar mais durante vários meses, mas Trump se saiu melhor recentemente.

A presença de Biden no evento em Los Angeles o impediu de participar hoje na Suíça de uma grande conferência internacional de paz para a Ucrânia. A vice-presidente Kamala Harris ficou com a missão de representá-lo.

Biden chegou a Los Angeles acompanhado de familiares, entre eles sua filha Ashley e as netas Maisy e Naomi, que também estiveram com o presidente americano na Itália, onde os Biden se reuniram com o papa.

A mudança súbita de Biden da diplomacia internacional para a campanha eleitoral marca o início de uma fase mais intensa da sua disputa com Trump pelo segundo mandato, em novembro.

Acompanhe tudo sobre:Joe BidenGoverno BidenEstados Unidos (EUA)Eleições EUA 2024

Mais de Mundo

Esquerda francesa enfrenta impasse para nomear primeiro-ministro; entenda

Brasil observa eleição na Venezuela com ‘preocupação e confiança’, diz Amorim

Eleições EUA: Doadores democratas reterão US$ 90 milhões enquanto Biden permanecer na disputa

Com ocupação de 99%, Reino Unido liberará milhares de detidos para abrir espaço nas prisões

Mais na Exame