Mundo
Acompanhe:

As fotos de Beirute após a explosão que destruiu a capital do Líbano

Ministro da Saúde disse que ao menos 73 morreram e mais de 3.700 ficaram feridas; hospitais pedem doação de sangue e ambulâncias correm contra o tempo

 (ANWAR AMRO/AFP)

(ANWAR AMRO/AFP)

C
Clara Cerioni

Publicado em 4 de agosto de 2020, 14h38.

Última atualização em 4 de agosto de 2020, 19h07.

A capital do Líbano, Beirute, está um verdadeiro cenário de guerra depois que uma explosão foi registrada na zona portuária da cidade.

O ministro da Saúde do Líbano disse que mais de 73 pessoas morreram e mais de 3.700 ficaram feridas.

O ministro da Defesa e o presidente do Líbano convocaram uma reunião de emergência para tratar do acontecimento.

Nas redes sociais, jornalistas que trabalham no Líbano afirmam que todos os hospitais da região estão precisando de doação de sangue. Além disso, relatam que as ambulâncias não estão dando conta de atender a todos os feridos.

O motivo para as duas explosões registradas ainda é desconhecido. Informações iniciais apontam para um depósito de fogos de artifício, mas existe a possibilidade de ser um local com material químico. No entanto, tudo é especulação e ainda não há informações oficiais.

De acordo com a AFP, a frequência da explosão se dissipou por toda a capital, que tem apenas 18 km², e chegou a ser ouvida em Chipre, ilha localizada a quase 300 quilômetros de Beirute. 

A enorme tragédia causou danos generalizados a edifícios, quebrando janelas em diferentes partes da cidade. 

Para a Al Jazeera, uma moradora de Beirute afirmou que estava a quilômetros de distância da explosão, mas "vidros quebraram por todo o lado" perto dela. "A explosão foi sentida por toda a cidade, está um caos nas ruas", completou.