Mercado imobiliário
Acompanhe:

Meu vizinho faz festa com música alta todo final de semana, o dia inteiro. Ele pode?

Especialista responde dúvida de leitor sobre imóveis. Envie você também suas perguntas

Homem com dúvida: comprovado que o incômodo é muito além do aceitável, algumas medidas podem ser adotadas (benstevens/Getty Images)

Homem com dúvida: comprovado que o incômodo é muito além do aceitável, algumas medidas podem ser adotadas (benstevens/Getty Images)

M
Marcelo Tapai, especialista em Direito Imobiliário

1 de janeiro de 2023, 10h00

Pergunta do leitor: Tem uma casa em frente ao meu prédio que todo final de semana tem festa e música muito alta durante o dia todo. Fui falar com o dono do imóvel para abaixar um pouco o volume, porque tenho crianças pequenas e ele me disse que durante o dia ele pode colocar o volume que quiser. O que eu devo fazer?

Resposta de Marcelo Tapai*

Ou seja, é permitido a um vizinho realizar festas no seu imóvel, o que certamente provoca ruídos além dos habituais. Se essas festas forem esporádicas, não é razoável que se tente impedi-las.

Há a crença que o silêncio deve ser respeitado depois das 22h e durante o dia o barulho é livre. Esse entendimento é equivocado e, mesmo durante o dia, há limites estabelecidos pela Lei do Silêncio para a produção de ruído.

Comprovado que o incômodo é muito além do aceitável, algumas medidas podem ser adotadas.

Claro que nessas situações, o primeiro passo é tentar resolver a situação de forma amistosa com uma boa conversa.

Caso a medida não surta os efeitos desejados, o comparecimento à uma delegacia para a elaboração de um boletim de ocorrência ou o acionamento da Polícia Militar são as primeiras medidas a serem adotadas.

Se mesmo assim o problema persistir, a solução é procurar um advogado para que sejam adotadas as medidas necessárias, como por exemplo, o envio de uma Notificação Extrajudicial antes de ingressar com uma ação judicial.

*Marcelo Tapai é advogado, professor de Direito e diretor do Brasilcon (Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor). Especialista em Direito Imobiliário, Contratual e do Consumidor, é autor de livros, palestrante, autor da cartilha do Procon de orientações para compra de imóveis novos e usados, membro do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), e foi vice-presidente da Comissão Permanente de Defesa do Consumidor da OAB/SP. Também é bacharel em Comunicação Social.

Últimas Notícias

ver mais
Fundos imobiliários: quais bairros de São Paulo são os mais procurados
seloMercado imobiliário

Fundos imobiliários: quais bairros de São Paulo são os mais procurados

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Novo plano Diretor mira frear 'boom' de apartamentos compactos
seloMercado imobiliário

Novo plano Diretor mira frear 'boom' de apartamentos compactos

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Preço do aluguel em São Paulo sobe 15,5% em 2022, diz levantamento do QuintoAndar
seloMercado imobiliário

Preço do aluguel em São Paulo sobe 15,5% em 2022, diz levantamento do QuintoAndar

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Não é Rio, nem SP: qual capital tem o preço de imóvel mais alto do país?
seloMercado imobiliário

Não é Rio, nem SP: qual capital tem o preço de imóvel mais alto do país?

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
icon

Brands

ver mais

Uma palavra dos nossos parceiros

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais