Mercado imobiliário

Especulação imobiliária reduz em dois bairros da capital paulista; saiba quais

A especulação é a diferença de preço entre o valor anunciado do imóvel pelo proprietário e o efetivamente acertado na negociação

Empreendimento em construção da Tiberio na Rua Dr. Nicolau de Sousa Queirós,603 - Vila Mariana - Entre os metrôs Ana Rosa e Paraíso (Leandro Fonseca/Exame)

Empreendimento em construção da Tiberio na Rua Dr. Nicolau de Sousa Queirós,603 - Vila Mariana - Entre os metrôs Ana Rosa e Paraíso (Leandro Fonseca/Exame)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de setembro de 2022 às 06h24.

Última atualização em 22 de setembro de 2022 às 10h14.

A especulação imobiliária reduziu em dois bairros da capital paulista, Paraíso e República, no trimestre encerrado em junho. É o que aponta a nova edição do Índice Especulômetro EXAME-Loft divulgado com exclusividade pela EXAME. A especulação é a diferença de preço entre o valor anunciado do imóvel pelo proprietário e o efetivamente acertado na negociação.

De acordo com os dados, no bairro do Paraíso, a diferença entre os entre o preço anunciado e o valor de fechamento do contrato nas transações realizadas no período caiu para 8,65%. Na região, o preço do metro quadrado é de R$ 9.881. No trimestre anterior, o valor era de R$ 9.214.

No bairro da República, a diferença entre os entre o preço anunciado e o valor de fechamento do contrato nas transações realizadas no período é de 18,18%. Na região, o preço do metro quadrado R$ 7.630.

Dos 23 bairros analisados, apenas um apresentou aumento na especulação imobiliária, o Jardim Paulistano. Na região, a diferença entre os entre o preço anunciado e o valor de fechamento do contrato nas transações realizadas no período é de 24,38 % e o preço do metro quadrado é de R$ 9.333.

Preço do metro quadrado por bairro em São Paulo

Veja abaixo o preço do metro quadrado dos bairros analisados:

Metodologia

Nesta edição, houve uma mudança na metodologia do estudo. A equipe do Loft Dados, núcleo da Loft para disseminação de estudos sobre o mercado imobiliário, passou a considerar os dados do ITBI (imposto sobre transações imobiliárias) divulgados pela Prefeitura de São Paulo. Anteriormente, sem os dados da Prefeitura que não estavam disponíveis, a Loft considerada as informações dos cartórios. Segundo a startup, a base do ITBI traz ganhos em relação às informações dos cartórios, pois é padronizada e estável, já que os cartórios podem atrasar o envio das informações ou mesmo parar de fornecê-las.

Além disso, para cada imóvel que consta na base como transacionado, é feita uma comparação com anúncios de imóveis similares (em termos de tamanho de área útil e localização) presentes em diferentes plataformas digitais. De acordo com o a Loft, nesta nova versão do Especulômetro, houve um aperfeiçoamento da metodologia. Quanto mais próximo da localização do imóvel transacionado, mais peso têm os imóveis no cálculo para se definir o valor do metro quadrado anunciado.

"Com uma base de dados mais estável e padronizada, que é o ITBI, o Especulômetro ganha em robustez e ajuda ainda mais a todos que estão envolvidos na jornada de compra e venda de imóveis na cidade", afirma Rodger Campos, gerente de dados da Loft. "A nova base também nos traz mais informações sobre os imóveis transacionados, o que ajuda a entender melhor como está o mercado."

Acompanhe tudo sobre:ApartamentosExame HojeImóveisLoftPreços de imóveisPrédios residenciais

Mais de Mercado imobiliário

O que é incorporação imobiliária?

Como se tornar corretor de imóveis? Conheça melhor a profissão

Como é morar na Vila Maria? Conheça a história do bairro

Como é morar em Perdizes? Conheça melhor o bairro

Mais na Exame