Líderes Extraordinários

Como a oratória pode valorizar e mudar o rumo de uma carreira?

Josef Rubin fala sobre a importância da comunicação para a carreira e apresenta os principais destaques de uma entrevista realizada com o especialista e bicampeão brasileiro em oratória, Giovanni Begossi

A oratória está diretamente relacionada ao sucesso profissional e pesquisas indicam que aqueles com habilidades de comunicação são frequentemente promovidos. (Klaus Vedfelt/Getty Images)

A oratória está diretamente relacionada ao sucesso profissional e pesquisas indicam que aqueles com habilidades de comunicação são frequentemente promovidos. (Klaus Vedfelt/Getty Images)

Josef Rubin
Josef Rubin

Colunista

Publicado em 29 de abril de 2024 às 15h00.

Aprender a se comunicar pode ser uma das mais importantes habilidades de um profissional de sucesso. Há 2 mil anos, essa habilidade era fundamental para alguém se destacar - e daqui a 2 mil também vai ser. Ainda assim, é uma habilidade que não aprendemos no ensino tradicional.

No entanto, apesar de sua importância indiscutível, raramente essa habilidade é desenvolvida formalmente no sistema educacional tradicional. Durante a vida, enfrentamos inúmeras situações que exigem habilidades de falar em público — desde controlar o nervosismo até o uso eficaz de gestos e da voz —, mas, muitas vezes, não recebemos orientação específica sobre como aprimorar esses aspectos.

A habilidade de se expressar de forma clara, carismática e persuasiva é um diferencial valioso no mundo corporativo. A oratória, muitas vezes subestimada, desempenha um papel importantíssimo na trajetória de um profissional. Um bom plano de capacitação em qualquer área deve incluir o aprimoramento dessa competência que pode impulsionar a carreira.

Para falar mais sobre essa habilidade, entrevistei o especialista e bicampeão brasileiro em oratória Giovanni Begossi - também conhecido nas redes sociais como @Elprofessordaoratória, que logo no início da entrevista reforçou:

A oratória está diretamente relacionada ao sucesso profissional e pesquisas indicam que aqueles com habilidades de comunicação são frequentemente promovidos. Com o avanço da inteligência artificial, você acredita que isso pode mudar?

Em tempos de IA (Inteligência Artificial), o medo de perder empregos é real. No entanto, há duas habilidades que a IA não pode replicar: inspirar e emocionar. A comunicação humana com criatividade e personalidade é única e insubstituível.

Warren Buffet, empresário e investidor americano, disse: “A única maneira fácil de acrescentar 50% mais ao que você vale agora – pelo menos – é aprimorar suas habilidades de comunicação”. O ensino tradicional não aborda a oratória, por isso, para aprimorar é preciso buscar outras formas.

Quais são os possíveis caminhos para quem quer desenvolver as suas habilidades e se tornar um comunicador carismático?

O primeiro passo é lembrar que a comunicação pode ser treinada até para os mais tímidos e introvertidos, como eu era na adolescência. Existem três principais caminhos para quem quer aprender essa habilidade:

  1. Cursos de oratória: são eficazes e rápidos.
  2. Aceite convites e se voluntarie: não recuse oportunidades de falar em público. Saia da zona de conforto, faça perguntas em eventos e assuma o palco.
  3. Aproveite o digital: use plataformas como stories e lives para praticar.

Especificamente para líderes, quais são as suas dicas para que eles melhores a sua comunicação?

Para conseguir se conectar com as pessoas, liderar equipes, resolver conflitos e se destacar no ambiente de trabalho com uma comunicação persuasiva, uma técnica valiosa é o rapport.

Na próxima vez que estiver em uma reunião com colaboradores ou com um cliente, experimente:

  • Olhar nos olhos: é cientificamente comprovado que isso te torna mais confiável, cativante e convincente.
  • Sorrir: o sorriso é um sinal universal de que você é amistoso e te deixa mais atraente.
  • Falar e repetir o nome da pessoa: as pessoas são egocêntricas e repetir o som do nome delas vai fazê-las gostarem de você.
  • Fazer elogios sinceros e específicos: não é sobre bajular ou “puxar saco”, e sim sobre reconhecer algo que você admira.
  • Espelhar linguagem não verbal: essa técnica tem vários nomes (sincronia límbica, técnica do camaleão) e significa basicamente "imitar” sutilmente os gestos da pessoa, assim ela se conectará com você inconscientemente.
  • Ouvir: a habilidade de falar está intimamente ligada à de ouvir. Quando alguém te procurar, escute primeiro, faça perguntas relevantes, se conecte e, só então, fale.

Investir na habilidade de comunicação é investir na carreira e isso vale para qualquer área de atuação. “Profissionais que dominam a oratória dificilmente perdem boas oportunidades e isso vale para quem é de humanas, exatas, artes e atendimento. Não conheço uma profissão sequer que não possa se beneficiar de uma comunicação feita com excelência”, afirma Begossi.

 

Acompanhe tudo sobre:Líderes ExtraordináriosLiderança

Mais de Líderes Extraordinários

Aluguel residencial: a bola da vez no Brasil?

Como se preparar para passar (ou não) o bastão?

Quando o líder dificulta a inovação?

Por que você deve proibir seus recrutadores de perguntar os salários dos candidatos?

Mais na Exame