Minhas Finanças

Para 48% dos brasileiros, queda de juros aumenta intenção de investir

Levantamento da Anbima apontou também que a reforma da Previdência estimulou a intenção de investir entre os brasileiros

Otimismo: brasileiros estão menos otimistas com as perspectivas econômicas (alexsl/Getty Images)

Otimismo: brasileiros estão menos otimistas com as perspectivas econômicas (alexsl/Getty Images)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 20 de janeiro de 2020 às 16h32.

São Paulo -  A redução da taxa de juros é o principal fator de estímulo às aplicações financeiras. Uma pesquisa realizada pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), encomendada ao Datafolha, apontou que para 48% dos brasileiros, a queda da Selic aumenta a intenção de investir. 

Outros 28% disseram ser indiferentes quando há queda na taxa de juros, ou seja, não aumenta e nem diminui a intenção de investir. Já 24% dos respondentes afirmaram que diminui a intenção de investir quando há queda nos juros. 

Outro fator que motiva os brasileiros a investir é a reforma da Previdência, segundo 36% dos respondentes. Ana Leoni, superintendente de Educação e Informações Técnicas da Anbima, explica que a reforma acende um alerta sobre como o brasileiro deve se preparar para aposentadoria. O risco de desemprego é outro fator que estimula as pessoas a investirem (37%), ao mesmo tempo em que diminui a propensão de outros 37%. 

Rumos da economia 

A pesquisa da Anbima também apontou que a população economicamente ativa segue otimista com os rumos da economia neste ano, com 62% dos brasileiros esperando que o cenário melhore em 2020.  Apesar do otimismo, o resultado teve uma queda de 12 pontos percentuais em relação a 2019, quando 74% dos entrevistados responderam de forma positiva.

O otimismo é maior entre os homens, com 66% acreditando que a economia terá melhor desempenho este ano, contra 57% das mulheres. 

Por região, os brasileiros do Norte e do Centro-Oeste são os mais esperançosos: em cada uma dessas regiões, 71% dos entrevistados responderam que 2020 será melhor do que 2019. No Nordeste, o percentual chega a 62%, no Sudeste 61% e no Sul, 60%.

Entre os pessimistas, aumentou de 14% para 21% a parcela da população que espera piora na economia este ano. Outros 17% disseram acreditar que a atividade econômica deve permanecer igual.

Acompanhe tudo sobre:AnbimaInvestidoresInvestimentos-pessoaisMercado financeiroSelic

Mais de Minhas Finanças

Quina de São João: confira o resultado e quantas apostas foram sorteadas

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2740; prêmio acumulado é de R$ 86 milhões

Veja o resultado da Quina especial de São João; prêmio é de R$ 230 milhões

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 86 milhões

Mais na Exame