Metade dos brasileiros extrapola vale-refeição. Veja como fazer o VR durar

Uma pesquisa da CDNL e do SPC também mostrou que quatro em cada dez brasileiros que recebem vale-refeição vendem seus tíquetes, mas isso é ilegal

Pagamento com cartão: Visa quer ajudar comércio local  (PeopleImages/Getty Images)
Pagamento com cartão: Visa quer ajudar comércio local (PeopleImages/Getty Images)
Júlia Lewgoy

Júlia Lewgoy

Publicado em 18 de fevereiro de 2019 às 12h32.

São Paulo - Fazer o vale-refeição ou o vale-alimentação durar até o final do mês é um desafio? É mais difícil mesmo economizar com comida do que com outras compras, mas dá para usar o benefício com mais inteligência.

Uma pesquisa divulgada na última sexta-feira (15) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostrou que 52% consumidores extrapolam o valor mensal que recebem do vale-refeição. Além disso, 33% gastam sempre ou frequentemente o benefício com outras finalidades além do almoço.

O estudo também mostrou que 39% que recebem vale-refeição vendem seus tíquetes. A maioria usa o dinheiro para pagar as contas. No entanto, quem vende seu VR comete fraude e pode ser demitido por justa causa, segundo a legislação trabalhista, ou comete crime de estelionato, segundo a legislação criminal. 

“Além da prática ser inapropriada, trocar o tíquete refeição por dinheiro pode ser um mau negócio do ponto de vista financeiro. Quem compra, costuma cobrar um percentual, levando o trabalhador a perder parte do valor do benefício”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. 

A seguir, veja dicas para não precisar vender o VR e fazer o benefício durar até o final do mês:

1) Crie uma rotina de almoços

Crie um roteiro de almoços para não gastar mais do que deve. Em vez de se jogar em rodízios de japonês todo início de mês e depois passar o resto dos dias comendo mal, por exemplo, estipule uma rotina. Pode ser que toda sexta, por exemplo, você almoce em um restaurante mais legal, e toda segunda e quarta, você traga marmita de casa. Para não ser pego de surpresa com o fim precoce do VR, o segredo é planejar um esquema.

2) Coma melhor no final do mês

Se você inventar recompensas que façam valer a pena esperar, fica mais fácil seguir as próprias metas. Por exemplo, em vez de gastar boa parte do VR em restaurantes caros no início do mês, é melhor primeiro economizar com comidas mais simples, e deixar o prêmio do sushi ou do hambúrguer para o final. Assim, você deixa para trás aquela culpa de que gastou demais.

3) Administre o limite diário

Defina um limite diário para gastar no vale-refeição e controle esse limite pelo aplicativo ou site do cartão. Em alguns dias, você não vai usar seu limite, e em outros, vai extrapolar. Administre e evite usar esse dinheiro para outras compras, a não ser que tenha sobrado no fim do mês.

4) Controle o prato

Em restaurantes por quilo, colocar a comida no centro do prato, sem utilizar as bordas, é uma forma de pegar somente a quantidade de comida que você realmente vai consumir. Além disso, evite comprar bebidas e sobremesas.

5) Aproveite promoções

Alguns restaurantes têm programas de fidelidade, que dão desconto após um determinado número de refeições. Outros oferecem desconto para quem almoça em horários alternativos. Aproveite.

 

 

 

Mais de Minhas Finanças

Calendário de licenciamento de 2024: Detran-SP divulga datas para pagamento; veja

Como consultar o abono salarial do PIS/Pasep 2024? Confira

Calendário abono salarial PIS/Pasep 2024; veja datas de pagamento

PIS 2024: quem trabalhou em 2023 tem direito ao abono salarial este ano?

Mais na Exame