Acompanhe:

Juro do rotativo cai e cheque especial passa a ser crédito mais caro

Com a queda do juro do rotativo, a operação do cartão deixou de ser a taxa mais elevada entre as avaliadas pelo BC

Modo escuro

Continua após a publicidade
BC: o juro médio total cobrado no rotativo do cartão de crédito caiu 25 pontos porcentuais de abril para maio, informou o Banco Central (flytosky11/Thinkstock)

BC: o juro médio total cobrado no rotativo do cartão de crédito caiu 25 pontos porcentuais de abril para maio, informou o Banco Central (flytosky11/Thinkstock)

P
Por Fabrício de Castro e Fernando Nakagawa, do Estadão Conteúdo

Publicado em 27 de junho de 2018 às, 13h13.

Última atualização em 27 de junho de 2018 às, 13h15.

Brasília - O juro médio total cobrado no rotativo do cartão de crédito caiu 25 pontos porcentuais de abril para maio, informou o Banco Central nesta quarta-feira, 27. Com isso, a taxa passou de 328,6% em abril para 303,6% ao ano em maio. O juro do cheque especial também caiu, mas menos do que o do cartão. Agora, o cheque especial passou a compor o maior juro do sistema financeiro: 311,9% ao ano.

Com a queda do juro do rotativo, a operação do cartão deixou de ser a taxa mais elevada entre as avaliadas pelo BC. Isso aconteceu porque o cheque especial recuou com menos intensidade, e passou de 321,0% para 311,9% ao ano entre abril e maio. Um ano antes, a taxa do cheque estava em 325,1% e do rotativo geral, em 380%.

Dentro do juro do rotativo do cartão, a taxa da modalidade "rotativo regular" caiu de 248,1% para 243,0% ao ano de abril para maio. Neste caso, são consideradas as operações com cartão rotativo em que há o pagamento mínimo da fatura.

Já a taxa de juros da modalidade "rotativo não regular", que inclui as operações nas quais o pagamento mínimo da fatura não foi realizado, recuou de 385,2% para 346,1% ao ano.

No caso do pagamento parcelado no cartão de crédito, o juro recuou de 171,9% para 165,5% ao ano. Considerando o juro total do cartão de crédito, que leva em conta operações do rotativo e do parcelado, a taxa passou de 73,1% para 67,3% de abril para maio.

A queda do juro do cartão ocorreu após a adoção das novas regras dessa operação. Em abril de 2017, começou a valer a nova regra que obriga os bancos a transferir, após um mês, a dívida do rotativo do cartão de crédito para o parcelado, a juros mais baixos.

A intenção do governo com a nova regra é permitir que a taxa de juros para o rotativo do cartão de crédito recue, já que o risco de inadimplência, em tese, cai com a migração para o parcelado.

Últimas Notícias

Ver mais
Campos Neto sinaliza corte de 0,25 pp em maio e abre porta para alta de juros, dizem investidores
Economia

Campos Neto sinaliza corte de 0,25 pp em maio e abre porta para alta de juros, dizem investidores

Há 14 horas

Os recados de Campos Neto: aumento de incertezas e o risco de fim do ciclo de queda de juros
Economia

Os recados de Campos Neto: aumento de incertezas e o risco de fim do ciclo de queda de juros

Há 18 horas

Banco Central revela que Drex 'empacou' em soluções de privacidade e não tem prazo para ser lançado
Future of Money

Banco Central revela que Drex 'empacou' em soluções de privacidade e não tem prazo para ser lançado

Há um dia

Valores a Receber: BC anuncia mudanças para sacar acima de R$ 100 no programa 'dinheiro esquecido'
seloMinhas Finanças

Valores a Receber: BC anuncia mudanças para sacar acima de R$ 100 no programa 'dinheiro esquecido'

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais