Minhas Finanças

Governo de SP lança linha de crédito para motoboys

São linhas de crédito para compra de novas motos, recuperação de motos antigas e compra de equipamentos de segurança

Motoboy: programa pretende colaborar com a legalização, a formação e a condição de trabalho do motofretista (Getty Images/Getty Images)

Motoboy: programa pretende colaborar com a legalização, a formação e a condição de trabalho do motofretista (Getty Images/Getty Images)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 21 de setembro de 2020 às 17h17.

Motofretistas de São Paulo vão poder regularizar seus documentos, fazer cursos de capacitação e até obter financiamento por meio do programa Motofretista Seguro, lançado nesta segunda-feira (21) pelo governo de São Paulo.

Segundo o governo e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), o programa pretende colaborar com a legalização, a formação e a condição de trabalho do motofretista e, principalmente, melhorar a segurança dos motoboys.

De acordo com dados do Detran, 35% das vítimas fatais de acidentes de trânsito em São Paulo são motociclistas e motofretistas e o número de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas é quatro vezes superior ao de carros.

Com a pandemia do novo coronavírus e maior demanda por esse tipo de serviço, o número de acidentes envolvendo motofretistas subiu de 19 por dia para 40 por dia entre janeiro e agosto deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o Detran.

Crédito

O programa vai oferecer duas linhas de crédito para compra de novas motos, recuperação de motos antigas e compra de equipamentos de segurança ou de proteção individual (EPIs). A primeira linha de crédito será disponibilizada aos motofretistas informais, com limite de R$ 3 mil e juros de 1% ao mês. O prazo de pagamento dessa linha é de 12 meses, com carência de 60 dias ou de 24 meses, ou em caso de investimento fixo, de 24 meses, com carência de 90 dias.

A outra linha de investimento é voltada para os motofretistas formais. Aos motofretistas que já possuem o MEI, o limite de crédito é maior: R$ 8,1 mil. A taxa de juros, nesse caso, é menor: entre 0,35% e 0,7% ao mês.

Regularização de documentos

Já o programa de capacitação e de aperfeiçoamento será financiado com o recurso de multas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Segundo o órgão, condutores que realizaram cursos de formação há mais de cinco anos poderão contar com aulas de reciclagem.

Os motofretistas que precisam regularizar a situação da carteira nacional de habilitação (CNH) devem se inscrever no site do Detran e ingressar no curso de formação desenvolvido pelo Detran.SP. Também é preciso cumprir alguns requisitos, como idade mínima de 21 anos, ter CNH e exercer atividade remunerada.

Acompanhe tudo sobre:EmpréstimosJoão Doria JúniorMotociclismo

Mais de Minhas Finanças

Receita libera consulta ao segundo lote do IR 2024; veja se você recebe

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 60 milhões na poupança

Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira prêmio acumulado em R$ 60 milhões

‘Independência financeira liberta’: Women in Finance discute gestão patrimonial para mulheres

Mais na Exame