Acompanhe:

Esta startup ajuda você a bancar um MBA em Harvard

Brasil está entre os cinco países que mais tomam empréstimos na plataforma Prodigy Finance, que financia cursos nas melhores universidades globais

Modo escuro

Continua após a publicidade
Estudante Fernando Monte em Barcelona (Arquivo pessoal/Divulgação)

Estudante Fernando Monte em Barcelona (Arquivo pessoal/Divulgação)

M
Marília Almeida

Publicado em 31 de outubro de 2016 às, 05h00.

Última atualização em 31 de outubro de 2016 às, 15h48.

São Paulo - O engenheiro ambiental Fernando Monte, 32 anos, trabalhava na área de planejamento estratégico de um grande banco brasileiro quando decidiu fazer um MBA no exterior.

Para isso, o estudante reuniu economias feitas ao longo de sete anos de trabalho, mas o valor era suficiente apenas para cobrir 20% dos gastos que teria com o curso (em torno de 80 mil dólares) e despesas básicas durante os dois anos no exterior, como moradia e alimentação.

Ao ser admitido na escola de negócios IESE, em Barcelona, o estudante conheceu a plataforma Prodigy Finance, que reúne investidores com o objetivo de conceder empréstimos a estudantes estrangeiros que decidem fazer um MBA ou cursos de pós-graduação nas melhores universidades globais, de acordo com o ranking feito pelo Financial Times.

Fernando resolveu fazer o cadastro para tentar um empréstimo na plataforma e acabou conseguindo financiar 80% do valor do curso e parte das despesas básicas que teria na Espanha, a ser pago em dez anos, com juros em torno de 8%. Todo o processo foi online e durou 15 dias.

Como o curso é ministrado em período integral, e o estudante somente pode trabalhar durante as férias de verão, Fernando, terá seis meses após o término do MBA para começar a pagar as parcelas mensais. “Sem o empréstimo, eu não estaria aqui. Teria de ter muito mais tempo para me organizar financeiramente, já que não teria como trabalhar e estudar ao mesmo tempo”.

História

Fundada em 2007 por estudantes da África do Sul que fizeram um MBA na França, e baseada no Reino Unido, a Prodigy Finance já emprestou mais de 250 milhões de dólares para estudantes pelo mundo, 16% deles vindos da América Latina. O Brasil já está entre os cinco países com maior volume de empréstimos na plataforma, segundo a própria startup.

Os investidores da Prodigy são ex-alunos de cursos nas universidades que são financiadas pela plataforma, além de family offices, grandes investidores individuais e até mesmo bancos globais, como o Credit Suisse.

Com foco em MBAs em escolas de negócios renomadas, a Prodigy Finance está ampliando sua atuação para conceder empréstimos também para quem quer fazer cursos de pós-graduação em áreas como direito, engenharia e política pública.

A startup se aproveita de uma deficiência do mercado financeiro: a dificuldade em analisar o histórico de crédito de estudantes estrangeiros e, consequentemente, conceder empréstimos para quem vive em outros países.

Antes de aprovar o crédito, a plataforma financeira analisa cerca de 50 dados, como o salário recebido antes do curso, em qual escola o estudante foi admitido, se possui dívidas, país onde vive e nacionalidade.

Contudo, o mais importante é a previsão de quanto o salário do estudante pode aumentar após terminar o curso, o que irá permitir que consiga pagar o empréstimo com maior facilidade. Esse fator diminui o risco de inadimplência e, consequentemente, do investimento.

Segundo dados divulgados pelo Financial Times, referentes a 2016, quem faz um MBA em Harvard ganha, em média, um salário anual de 172 mil dólares após três anos do término do curso. O valor representa quase o dobro do que o estudante ganhava antes de fazer o curso.

Sem fiador

Um diferencial da Prodigy Finance em relação a sites semelhantes, geralmente sem atuação global, mas apenas no país em que a universidade está localizada, é que não é necessário ter um fiador para o empréstimo.

Isso é possível por conta do modelo de crédito criado pela plataforma online, que garante que o estudante irá conseguir pagar pelo crédito ao sair da universidade.

As condições do crédito são personalizadas para cada estudante. De acordo com o perfil de risco, é possível obter taxas de juros menores (que variam de 5,5% a 8,5%) ou um empréstimo maior. A startup pode financiar até 80% do curso, dependendo da escola e do perfil do aluno, e também pode emprestar dinheiro para custear parte das despesas do estudante no exterior. O tempo de pagamento do empréstimo varia entre sete a dez anos.

Além dos juros sobre o empréstimo, a plataforma cobra 2,5% como taxa administrativa sobre o valor do crédito. A taxa é incluída nas parcelas do empréstimo, e amortizada ao longo do tempo.

Planejamento

A Prodigy Finance afirma que não penaliza estudantes que, por algum motivo, atrasam o pagamento do empréstimo, mas, sim, busca encontrar uma solução junto com eles para resolver eventuais problemas financeiros. A startup pode ajudar o estudante a se recolocar no mercado de trabalho, por exemplo. Um número que mostra o sucesso do modelo é que as taxas de pagamento dos empréstimos é de 99%, diz a startup.

A Prodigy não oferece uma proteção contra grandes variações do câmbio. Por conta disso, Fernando Monte diz que pretende pagar o valor total do seu empréstimo na plataforma o quanto antes para não ficar exposto às oscilações do euro.

O estudante está confiante de que não terá problemas para quitar as parcelas, que devem corresponder a 10% da sua renda mensal após o MBA. “Muitas empresas divulgam vagas no Brasil e no mundo aqui na universidade. Estou confiante de que vou me recolocar no mercado em uma posição melhor” — confira o passo a passo para se candidatar a um MBA no exterior.

Últimas Notícias

Ver mais
Novo Ensino Médio: ministro reconhece falhas e procura relator dois meses após última conversa
Brasil

Novo Ensino Médio: ministro reconhece falhas e procura relator dois meses após última conversa

Há 2 dias

Critérios climáticos devem pautar 45% dos financiamentos até 2030, prevê Banco Mundial
ESG

Critérios climáticos devem pautar 45% dos financiamentos até 2030, prevê Banco Mundial

Há 2 dias

Censo Escolar: Brasil tem quase 1,3 milhão de estudantes sem acesso a água potável nos colégios
Brasil

Censo Escolar: Brasil tem quase 1,3 milhão de estudantes sem acesso a água potável nos colégios

Há 4 dias

Censo Escolar 2023: três estados somam mais de 85% dos diretores nomeados por indicação política
Brasil

Censo Escolar 2023: três estados somam mais de 85% dos diretores nomeados por indicação política

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais